Nunca é tarde para aprender; Nunca é cedo demais para ensinar…

“A construção de uma epistemologia capaz de dar conta de uma objectividade subjectiva (…), rompe com esta unidimensionalidade intersubjectiva metodológica para adoptar perspectivas multirreferenciais, visando integrar a produção dos factos e dos acontecimentos nas suas respectivas condições de significação. Ou seja, por outras palavras, porque a realidade social se complexifica, complexificam-se os processos e os instrumentos teóricos e metodológicos através dos quais se procura compreender essa complexividade que aqui exprimimos sinteticamente pelo conceito de objectividade intersubjectiva”.
[Matos, Manuel S. (1999). Teorias e práticas da formação: Contributos para a reabilitação do trabalho pedagógico. Porto: Asa Editores, 1999, p. 53]