SEDUC-RS chama o 2º grupo de candidatos aprovados no concurso do Magistério Estadual RS

Chamamento do 2º grupo de candidatos aprovados:
(candidatos com classificação de 1.101º ao 2.200º lugar)

Com informações da SEDUC-RS.

Anúncios

160 thoughts on “SEDUC-RS chama o 2º grupo de candidatos aprovados no concurso do Magistério Estadual RS

  1. Celi diz:

    Olá Prof.
    Tenho entrado aqui mais de 1 vez por dia, ansiosa!
    Estou no 2º grupo e tenho algumas dúvidas:
    1ª: Como chegar ao tal DMEST, já que sou de outra cidade, que pontos de referência posso usar partindo da Rodoviária?
    2ª: Quem já passou pela perícia poderia dar alguma informação de como é o teste psicotécnico? É parecido com os do exame de CNH ou algo assim?
    Desde já agradeço

    • Editor diz:

      Bom dia, Celi:
      Parabéns pela nomeação!
      Pelo que sei, o DMEST/SARH-RS fica no icônico prédio do Centro Administrativo Fernando Ferrari (CAFF) – aquele junto ao monumento aos Açorianos. Fica perto da Rodoviária (cerca de 4km), mas não dá pra ir caminhando (pelo menos eu não consigo! rsrsrs). As duas avenidas (Perimetral – Loureiro da Silva e Borges de Medeiros) são atendidos por um grande número de ônibus e lotações que passam na rodoviária. Recomendo o site http://trafeguebem.com.br/ que informa todas as linhas, apenas colocando os dois endereços. De táxi deve dar uns 8 pilas (oriente e cuide que ele siga o seguinte percurso: Av. Castelo Branco + Passando pelo Gasômetro + Av. Loureiro da Silva (Perimetral) + alça de acesso a Av. Borges de Medeiros + CAFF.
      Caso os colegas tenham sugestões (ou correções!) por favor postem para ajudar nossa amiga!
      Sobre o exame psicotécnico: Segundo o depoimento de colegas o exame é constituído de entrevista e testes padrões realizados por agências de emprego e ou governamentais. O mais cansativo, segundo colegas, foi a espera. O espaço do blog está aberto aos colegas que fizeram e querem compartilhar experiências.

      Um abraço e boa sorte!

      Prof. Omar Martins
      Facebook (FanPage): https://www.facebook.com/prof.omarmartins | Perfil: https://www.facebook.com/omarmartins
      Twitter: @profomar
      Blog: https://profomar.wordpress.com
      E-mail: prof.omar@terra.com.br

  2. Giordano diz:

    Boa tarde, professor.
    Eu estou no 5º grupo e me formo na metade de janeiro em função da greve. Será que consigo manter a minha vaga?
    Obrigado!

    • Editor diz:

      Boa tarde, Giordano:
      Lamento bastante o atraso da tua formatura em decorrência da greve das federais.
      Espero que tudo dê certo e tenha o certificado/diploma a tempo da posse.
      A informação oficial que temos (do próprio secretário da SEDUC-RS) é que todos estarão nomeados até janeiro e empossados até fevereiro de 2013.

      Vou ficar torcendo.

      Um abraço e boa sorte!

      Prof. Omar Martins
      Facebook (FanPage): https://www.facebook.com/prof.omarmartins | Perfil: https://www.facebook.com/omarmartins
      Twitter: @profomar
      Blog: https://profomar.wordpress.com
      E-mail: prof.omar@terra.com.br

      • Adriana Ferraz diz:

        Oi colega Giordano!
        Sou aluna do curso de Pedagogia da UFRGS e lá na nossa faculdade, para fins de concurso público ou mesmo emprego em instituição privada, a CONGRAD do curso fornece para quem está cursando o último semestre o que chamamos de “declaração de provável formando”. Com esta declaração, é possível assumir a vaga sem problemas. Te informa quanto a isso, pode ser que a CONGRAD do teu curso também disponha desse recurso. Sei de colegas que conseguiram assumir vagas no concurso da prefeitura de Porto Alegre com esse documento. Boa sorte!

  3. Alana Nunes diz:

    Olá, prof Omar. Parabéns pelo blog, é muito bem organizado e útil.
    Estou no segundo grupo e hoje, por acaso, ví que fomos chamados, mas não recebi nenhuma correspondência oficial ainda. Gostaria de saber dos colegas que também estão no segundo grupo, se alguém já recebeu a correspondencia. Estou receosa, pois tenho mto pouco tempo para providenciar os exames e documentos que pedem, visto que pela minha colocação, tenho que comparecer a POA no dia 30/10.

    Abraços

    • Celi diz:

      Oi Alana,
      Recebi hj a correspondência oficial.
      Mas tu podes fazer os exames já, antes mesmo de receber, eu já marquei os meus desde sexta quando vi que saiu a lista e demais informações do 2º grupo.
      Boa sorte.

      • Alana Nunes diz:

        oi Celi! Sim, eu fiz dois dos exames hj e marquei os outros pra amanhã,mas até agora ainda não recebi a correspondência. Tomara que venha amanhã 🙂
        Beijos!!

      • Larissa diz:

        Oi Celi,

        Não recebi a correspondência ainda. O que consta na carta é muito diferente do que saiu no site?
        Tenho medo de não receber e faltar alguma coisa.

    • Celi diz:

      Larissa,
      As informações da carta são as que estão no site da Seduc mesmo.
      O que acho que deve se chamar a atenção é que no edital deles fala um endereço para o local da perícia e na carta outro, sendo que o certo, pelo que me informei é:Av. Borges de Medeiros, 1501, no CAFF.
      Na verdade acho que a carta é só mais uma formalidade, mas o seu conteúdo é o mesmo das informações aos candidatos constantes no site da seduc.
      abraço

  4. Michele diz:

    Pois é, eu também não recebi nenhuma correspondência oficial mas já estou fazendo os exames. Também estou bem curiosa para saber como é o teste psicotécnico. As pessoas que já fizeram poderiam dar algumas dicas. abrçs

    • deanie diz:

      eu não fui chamada ainda mas um amigo q foi nomeado ontem disse q o psicotécnico se trata de fazer um desenho com uns traços, depois a psicologa pergunta o nome, pq escolheu ser professor, depois tem um questionario perguntando idade, qualidades, defeitos, gostos e tem o exame medico pressão e coração.

  5. Michele diz:

    Boa noite, gostaria de compartilhar com vcs algumas dúvidas. A respeito dos formulários, alguém sabe me dizer se temos que preencher e imprimir a declaração de saúde e o formulário de ingresso no DMEST, porque no documento com as orientações está escrito que temos que preencher o formulário de ingresso no serviço público estadual, mas há muitos outros documentos no site. Estou um pouco confusa porque o formulário de ingresso no DMEST aparece somente a parte de identificação na hora do preenchimento, mas quando colocamos para visualizar aparece muito mais coisa, aliás coisas que eu não saberia preencher, tais como, nome do órgão emitente, nome da unidade e mais abaixo dados sobre o ingresso, etc. Por favor, caso alguém saiba um pouco mais me ajude ou me indique um telefone para contato, porque hoje tentei ligar para o RH e passaram para vários setores de acabei sem nenhuma orientação! Abrçs

    • Celi diz:

      Michele,
      Eu decidi que por precaução (a loka desesperada e ansiosa, KKK) vou preencher tudo na internet e também imprimir e preencher para ter tudo impresso, afinal como a gente não tem segurança, já que as informações por parte da SEDUC são muitas vezes dúbias e nos deixam perdidos, vale mais tu imprimir umas folhinhas e depois descartar elas do que faltar documentação e se incomodar.
      Quanto as dúvidas de preenchimento creio que devamos deixar em branco as coisas que não sabemos, pois provavelmente lá eles darão maiores esclarecimentos ou eles mesmos vão preencher as coisas relacionadas ao ingresso, a escola, o órgão, essas coisas.
      É só minha opinião, ok?
      Abraço

      • Michele diz:

        Obrigada Celi, também vou fazer isso, porque o que nos deixa inseguros é o fato de ser tudo em PA, daí parece que se faltar alguma coisa acabará sendo mais complicado. Mas valeu! Obrigada!

      • Celi diz:

        Oi Prof , e oi pessoal!
        Hj me obrigo a entrar aqui e postar coisas que me deixaram indignada… preocupada com os questionários que temos que preencher e muitos deixaram aqui suas dúvidas, decidi, já que moro numa cidade sede de CRE, me dirigi até a CRE pra solicitar esclarecimentos, posso dizer com toda certeza que foi o mesmo que não ter ido e pior ainda colocaram mais dúvidas em mim!
        1) Disseram que para estar quites com as obrigações eleitorais devemos apresentar uma certidão do tribunal eleitoral alegando isso ( na dúvida fui eu atrás e peguei a tal certidão e carregarei tanto ela quanto os comprovantes).
        2) Disseram que a folha corrida deve ser do fórum e não aquela online do tribunal (na dúvida fui eu atrás e peguei a tal certidão e carregarei ela e tb o papel da online).
        3) Me disseram ainda que não devemos ter esperanças de trabalhar na nossa cidade e que se eu disesse que não aceitaria outra cidade poderia ser até desclafissifacada, fiquei meio chateada, pois sei que se tiver professores de contrato, que não passaram no concurso e portanto não ocuparão aquela vaga ano vem (pelo menos em tese) nós concursados temos o direito a vaga, mas creio que nas cidades sedes das CREs haja muito envolvimento e apadrinhamento político na questão dos contratos e me atrevo a dizer que certamente se não derem lugar para mim e outros colegas da cidade, aqui mesmo, é pq farão reserva de vagas pros contratos do ano que vem pelo apadrinhamento… sei que tem escolas com contratados na minha área que não passaram no concurso pois tenho relações sociais com várias diretoras que inclusive brincam me disputando pra ver qual vou escolher….
        Enfim… um desabafo, pq fiquei muito brava hj!
        Abraços

  6. Julieta diz:

    Olá, sou do 1 º grupo e gostaria de compartilhar minha experiência. A perícia médica é bem tranquila, o médico olha os exames, faz algumas perguntas e mede a pressão arterial.
    O mais demorado é o psico que demora 1h e meia ou 2 horas. É composta de 3 partes: teste, prática de apresentação (grupos de 10 pessoas) e questionário. Os que se saem bem são liberados, outros a psicóloga chama para a entrevista individual. O processo é cansativo, pois a demora entre um exame e outro é de mais ou menos 2 horas. Cheguem cedo, pois a fila é por ordem de chegada. Eu cheguei as 7h20 e saí às 13 horas.

  7. Valdenira AzzolimAguirre diz:

    Bom Dia!Parabéns pelo blog! maravilhoso!
    Estou com uma dúvida .Os exames podem ser feitos pelo convênio IPÊ ??? ou somente pelo SUS e particular?

  8. Alana Nunes diz:

    Gente, outra pergunta: o histórico escolar que eles pedem é o nosso histórico da faculdade ou do ensino médio? Pergunto, pq me parece estranho pedirem o histórico do tempo da escola…

  9. Tiago diz:

    Professor tem como mandar o nome para fim de lista? estou com muitas duvidas se vale a epna deixar meu estado para morar no RS, escuto muitas pessoas reclamando da educação ai no RS, em uma Universidade que fui estes dias, um professor meu me falou que ai é um caos e o professor não tem nem um aparato em sala de aula e tal… enfim fiquei com muitas duvidas o que o senhor pode me dizer? Obs; aqui tenho escola particular e 40 ha como PSS (e o temporarario aqui e o concurso daqui so saira em Fevereiro)

    • Editor diz:

      Boa noite, Tiago:
      Sim, poderá ir para o final da lista, como prevê o item 12.6. do Edital de Concurso da SEDUC-RS | http://www.fdrh.rs.gov.br/upload/20111229105335edital_nr01_2011.pdf (vide pág. 17):

      (…) Caso o candidato não tenha interesse em assumir a vaga, deverá solicitar o remanejamento, por escrito, para o final da lista de classificação.

      Não localizei nos editais e instruções para posse, informações sobre como realizar o procedimento.
      Assim, tu deverá contatar a CRE ou o RH da SEDUC-RS buscando informações específicas de como fazer essa solicitação de remanejamento.
      Acredito que possa fazer de antemão, por SEDEX registrado ao setor da Secretaria, mas é necessário confirmar.

      Sobre as demais questões, sinto-me prejudicado em comentar: fui professor concursado da Rede Municipal de POA e há mais de 15 anos trabalho na rede particular de ensino. Nunca fui professor estadual. Acompanho o trabalho de muitos amigos e colegas que militam em escolas estaduais e, pelo que ouço, há enormes diferenças em se tratando de CREs e de escolas.

      De qualquer forma, o desafio é enorme; as remunerações baixas e o trabalho árduo.

      Um abraço e boa sorte!

      Prof. Omar Martins
      Facebook (FanPage): https://www.facebook.com/prof.omarmartins | Perfil: https://www.facebook.com/omarmartins
      Twitter: @profomar
      Blog: https://profomar.wordpress.com
      E-mail: prof.omar@terra.com.br

  10. Mirian diz:

    Ola Prof Omar seu blog tem sido o nosso consolo, continue com esse trabalho maravilhoso.
    Achei muito estranho pela classificação os quotistas do 1º grupo, estão novamente no 2º grupo, eu achei que essas numerações seriam substituídas por outras, mas vi que colocaram a mesma classificação nos dois grupos, não sei se me entende, a classificação 1144 que está no 1º grupo, continua no 2º, não teria que ser tirado da lista e assim dar lugar a outro candidato
    Qual a previsão para o 4º grupo ser chamado, será que vai esse ano ainda, ou vai ficar para janeiro
    Obrigado
    Abraços

  11. Gislaine diz:

    Olá pessoal, faço parte do segundo grupo, já realizei os exames solicitados, mas não recebi correspondência nenhuma…
    Prof Omar, seu site tem sido muito importante para nos manter informados sobre o concurso. Parabéns e obrigada pelo espaço!

  12. Rita diz:

    Olá Pessoal! Fiquei no último grupo e estou na expectativa de ser chamada ainda este ano…estou com uma dúvida, os exames terão de ser realizados na rede particular???

    Obrigada!

  13. Roberta diz:

    Bom dia,
    Gostaria de saber se os exames podem ser feitos diretamente no laboratório e assinados pelo bioquímico responsável, ou devem ser solicitados por um médico e depois direcionados ao laboratório.
    Grata

  14. Toani diz:

    Olá, prof. Omar.

    Novamente peço sua ajuda:
    Fui chamada nesse segundo grupo e, segundo cronograma para a posse, divulgado pela SEDUC, minha posse será no dia 21 de novembro.
    Mas não posso comparecer nesse dia, pois tenho prova para ingresso em programa de Mestrado aqui no Paraná.
    Minha dúvida é a seguinte: posso ir antes desse prazo?
    Considerando que o edital de abertura do concurso prevê o prazo de até 15 dias a contar da nomeação para a posse, e também é o disposto no Estatuto do Magistério do RS.
    Se isso não for possível, outra pessoa pode, por meio de procuração, levar meus documentos no dia agendado pela SEDUC?

    Obrigada,
    Toani.

    • Editor diz:

      Boa tarde, Toani:
      Primeiramente, gostaria de te parabenizar pela conquista e desejar uma excelente carreira no Magistério Estadual.
      Sobre a posse: Sim, segundo a legislação estadual a posse pode ser realizada por procuração lavrada em cartório.
      Veja o que fala a Lei Estadual Complementar n.º 10.098, de 03 de fevereiro de 1994, que dispõe sobre o estatuto e regime jurídico único dos servidores públicos civis do Estado do Rio Grande do Sul | http://www.al.rs.gov.br/Legis/Arquivos/10.098.pdf :

      Art. 18 – Posse é a aceitação expressa do cargo, formalizada com a assinatura do termo no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da nomeação, prorrogável por igual período a pedido do interessado.
      (…)
      § 2º – A posse poderá dar-se mediante procuração específica.

      E o Estatuto do Magistério Estadual, instituído pela Lei n.º 6.672, de 22 de abril de 1974 | http://www.educacao.rs.gov.br/dados/lei_no_06672.pdf diz que:

      Art. 16 – Posse é o ato solene em que a pessoa, intitulada a cargo do Magistério Público por qualquer das formas enumeradas no art. 12, exceto a promoção, declara perante a autoridade competente aceitar as atribuições do cargo e promete exercê-lo com dedicação e fidelidade, passando assim a ocupá-lo.
      Parágrafo único. A posse poderá ser tomada por procurador.

      Estranhamente, essas informações não constam das orientação aos nomeados (pelo menos não vi!).

      Assim, é importante que obtenha por parte da SEDUC-RS (seja do DRH ou CRE) dados adicionais para a elaboração da Procuração para que não ocorra problema.

      No serviço público federal (concursos que estou mais acostumado a participar!) há instruções específicas sobre esses procedimentos como, por exemplo, a posse realizada por Procuração no Senado Federal. Coloco abaixo para tu teres uma ideia:

      POSSE POR PROCURAÇÃO
      Conforme previsão do art. 13, §3°, da Lei n° 8.112/90, a posse poderá se dar mediante procuração específica.
      Para tanto, o(a) nomeado(a) deverá conferir, mediante instrumento particular ou público de procuração, poderes específicos para a realização de atos necessários a posse em cargo comissionado no Senado Federal, de acordo com o modelo disponível na intranet.
      O procurador não poderá ser servidor público federal (art. 117, XI, da Lei n° 8.112/90), devendo, no ato da posse, apresentar documento de identificação pessoal.
      De acordo com o art. 2º, §5°, do Ato da Diretoria-Geral n° 3.274, de 2010, o instrumento de procuração, lavrado em forma particular, deverá apresentar firma reconhecida em cartório.
      A existência de procuração confere ao(a) procurador(a) a prerrogativa de assinar o “termo de posse”, não possuindo, contudo, poderes para assinar as declarações e formulários de cunho personalíssimo, então exigidas pelo Senado.

      Sem comparação a organização…

      Um abraço, boa sorte e espero ter ajudado!

      Prof. Omar Martins
      Facebook (FanPage): https://www.facebook.com/prof.omarmartins | Perfil: https://www.facebook.com/omarmartins
      Twitter: @profomar
      Blog: https://profomar.wordpress.com
      E-mail: prof.omar@terra.com.br

  15. Adriana Ferraz diz:

    Olá professor!
    Tenho acompanhado as notícias do concurso pelo seu blog e estou nesta segunda leva de candidatos. Gostaria de saber o que são “estudos adicionais”, citados para fins de remuneração do nível 2. No meu caso, que é Anos Iniciais, sou formada no Magistério e estou cursando o 3º ano de Pedagogia. Entro direto nesse nível, não? Procurei muito sobre isso na rede mas não achei nada a respeito.
    Agradeço se souberes me esclarecer!

  16. Alessandra Genro diz:

    Olá Prof. Omar
    Acredito que me enquadro no 5 grupo do concurso magistério rs.
    sou do interior, não tenho certeza em quanto ao funcionamento da nomeação e posse.
    Poderei optar por alguma escola? Posso esperar uma escola mais adequada (local residencia), ou se não quiser a escola disponível tenho que desistir do concurso?
    Obrigada
    Alessandra

    • Julia diz:

      Tenho essa mesma duvida!
      Porque aqui onde moro a professora que esta lecionando não é da area e é contratada pelo estado!
      E me falaram que é preciso que a diretora ou diretor, peça na CRE ou fale que tem vaga! é verdade?
      um grande abraço, adoro o teu blog.

  17. Vanessa diz:

    Prof. estou com uma duvida com relaçao a previdencia do estado. É verdade que os novos professores entrarão pelo INSS e não pelo IPE previdencia?

    • cristiane diz:

      Oi Vanessa, não ouvi nada a respeito deste assunto. No entanto, nós sempre contribuimos para os dois, tanto para o IPE (Fundo para Assitência à Saúde) e para o INSS (que eu entendo está relacionada à aposentadoria). Espero que continue assim.

  18. Priscila Stach diz:

    Olá professor Omar!
    Entrei em contato com a 3º CRE onde vou assumir questionando sobre as escolas em que existem vagas e me disseram que isso seria decidido em POA no momento da posse. Pelo que acompanho no blog entendo que eles não quiseram me informar…Como terei que abrir mão de um outro concurso municipal para assumir pelo estado acredito que seria interessante ter mais informações sobre onde poderei trabalhar!!!Essa atitude demontra uma falta de consideração por parte da CRE. Fica o desabafo…

    • Veridiana diz:

      Oi Priscila,

      Compartilho da sua opinião, por várias vezes entrei em contato com essa mesma CRE e as informações sempre foram muito vagas, aliás, como todo o restante das informações.

  19. Márcio Alex Cordeiro Biavaschi diz:

    A 24ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) participará do mutirão organizado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), para encaminhar a posse dos mais de 5.000 mil professores nomeados em outubro, entre eles 17 da região. Todos eles tomarão posse em dois dias, terça e quarta-feira (30 e 31), em Porto Alegre. Um grupo de 60 servidores de CREs e 50 da Seduc trabalharão no atendimento aos nomeados, no ginásio da Brigada Militar. Da 24ª CR

    E, participarão a Coordenadora de Recursos Humanos, Cláudia Severo Vargas, e a professora Rosane Altermann, também do setor de RH. No mutirão, os servidores das CREs e Seduc atenderão em grupos, que coordenarão procedimentos como o recebimento e conferência de documentos, digitação de dados e encaminhamento para as opções de vagas.

    Conforme a Coordenadora Regional de Educação, Telda da Silva Assis, a organização criada pela Seduc para a posse dos nomeados é inédita e garantirá a agilidade tanto da entrada em exercício dos professores nas escolas quanto do recebimento do primeiro salário. “Eles sairão do ginásio com a sua identidade funcional e deverão fazer parte já da folha de pagamento de novembro”, completou a Coordenadora.

    ESCOLAS – Após a posse, os docentes têm até cinco dias para se apresentarem nas escolas. Os professores serão nomeados para os estabelecimentos de ensino onde há necessidade de nomeações, conforme levantamento feito pelas Coordenadorias. As vagas serão conhecidas e escolhidas pelos professores somente no dia da posse. Até o final de 2012, todos os aprovados no concurso deverão estar nomeados.

    FONTE: http://www.radiofandango.com.br/archive/valor.php?noticia=28490

  20. Márcio Alex Cordeiro Biavaschi diz:

    Postei esclarecimento acima e agora estou com uma dúvida.
    É sobre os documentos a serem apresentados quando da posse, no caso o item “h” (Laudo Médico Pericial para ingresso no serviço público fornecido pelo DMEST/SARH, na ocasião da Perícia Médica).
    Fiz a perícia semana passada e não recebi esse Laudo. É normal? Outros aprovados também não receberam?

    • Priscila Stach diz:

      Olá Márcio!
      Fiz o exame médico ontem e nos informaram que o laudo seria enviado diretamente para o pessoal da Seduc, que ao contrário do que dizia no site não levaríamos nenhum papel…
      Espero ter ajudado!
      Estou ansiosa para amanhã…dia da minha posse…
      Abraço

  21. Elenise diz:

    Peço aos que serão primeiramente nomeados, dias 30 e 31 de outubro, que relatem os critérios utilizados na nomeação e se conseguiram serem lotados em suas próprias cidades.
    Obrigada!

  22. Ana diz:

    Professsor, tenho dúvidas no quesito carteira de trabalho, onde pedem cópia da primeira página e página de registros de empregos.
    Tenho alguns registros em ninha carteira, ao logo dos anos que trabalho. Devo copiar todos eles?
    Também não recebi o Laudo Médico Pericial. Como procede rnos dois casos?

    Obrigada novamente pelo auxílio prestado!

  23. Nádia diz:

    Olá Prof. Omar.
    Como estarei sendo chamada no 3° grupo das nomeações, e sou concursada do Quadro Geral do município (emprego que não é permitido acumulação de cargos pela CF), e como vou saber somente no momento da posse qual a cidade que serei designada para trabalhar, tenho a seguinte dúvida:
    a) É necessário apresentar o desligamento/exoneração com o município ou posso apresentar ato de Licença Interesse?
    Como não tenho ideia para onde serei designada, fico muito apreensiva em me precipitar em pedir exoneração, pois sabemos a remuneração de prof. não permite que mudemos de cidade e façamos outros compromissos.

    Desde já agradeço,
    Um abraço!

  24. P diz:

    Professor, como seu blog é muito acessado pelos aprovados, gostaria de compartilhar esta Carta Aberta, escrita pela Priscila e que mostra claramente o que está acontecendo e pedir comentários, se possível.

    Carta Aberta: Concurso do magistério do RS
    Eu, professora há 3 anos do ensino particular e do ensino público municipal do Rio Grande do Sul, estou desistindo da minha vaga como nomeada do Estado porque não tive o direito de escolher a escola que eu iria trabalhar.

    Esta desistência se deve ao fato da Secretaria de Educação do estado do Rio Grande do Sul estar privilegiando os professores que não foram aprovados no concurso e que já possuem vaga do Estado. Os critérios de escolha para as escolas estaduais não obedecem à classificação do concurso, como ocorre em qualquer outro concurso público, onde os primeiros classificados tem direito a escolher os seus locais de trabalho, independente se a vaga é ocupada por um contratado ou não. Passei no concurso na posição geral 492° e na 27° Coordenaria Regional de Educação em 7° lugar para a minha disciplina, sei que há professores contratados que não foram aprovados no concurso ocupando a vaga que eu gostaria de ocupar, porém esse direito não me foi dado.

    Não está previsto no edital que os professores contratados pelo Estado teriam privilégios na escolha do local de trabalho. Os professores contratados que passaram no concurso permanecerão nas suas vagas, independente de classificação. Já os professores contratados que NÃO foram aprovados permanecerão em suas vagas, impedindo a posse dos aprovados no concurso. Os nomeados irão para as escolas que nem os contratados quiseram trabalhar, as mais afastadas e com horários quebrados, tendo que, algumas vezes, dividir sua carga horária em mais de uma escola.

    Estou escrevendo está carta aberta, para demonstrar a minha indignação com a Secretaria de Educação, por desrespeitar uma regra básica dos concursos públicos que é a escolha por classificação. Demonstra que o governo do Estado não está valorizando o empenho e o bom resultado na prova. Estava muito feliz de fazer parte dos 5000 professores, dos 70000 inscritos, que foram aprovados no Estado, agora estou me sentindo lesada no meu direito de assumir a vaga que pleiteava.

    Priscila Spindler Corrêa Nunes. 30 de outubro de 2012.

    • Michele diz:

      Mas não sei se é o caso de desistir da vaga, não sou advogada, nem entendo tanto de leis, mas pelo menos na esfera municipal, onde já trabalhei, quando provado que há contratos (exceto aqueles para suprir licenças, afastamentos legais) ocupando VAGAS EXISTENTES, que é o caso de muitos professores estaduais, estas vagas devem ser substituídas a partir do momento em que há aprovados em concurso. Está certo de que o número de aprovados não chega nem perto do que realmente é necessário para que haja substituição, porém, seria o caso de consultar um advogado, porque acredito que se há vaga em escola próxima da residência do professor aprovado em concurso e esta vaga está sendo ocupada por contrato e a este novo professor não é dado o direito de escolha, pode ter algo muito errado nesta história. Porque o edital prevê que o professor pode ser mandado para qualquer cidade de abrangência da CRE para a qual se inscreveu, mas isso não significa que eles deverão determinar isso mesmo havendo vaga ocupada por contrato temporário (como já diz o nome é TEMPORÁRIO). O benefício da escolha então deveria ser dado ao professor de carreira, aquele que permanecerá na escola e efetivará um trabalho naquele local. Aconselho àqueles que se sentirem lesados consultarem seus direitos, eu farei isso, caso me sinta prejudicada.

      Abrçs

    • Celi diz:

      Cara Priscila,
      creio que tu como eu acesse o blog todos os dias e leia os comentários…infelizmente, antes mesmo das nomeações iniciarem postei minha indignação com o atendimento e as atitudes da CRE para qual me escrevi, cuja sede é no município em que resido e conheço bem as escolas e sei quem são seus professores. E tu só vem confirmar minha tese… PORTEÇÃO total aos contratados e descaso conosco….

      Vamos nos movimentar pelo blog, até onde me informei cabe processar a CRE ou até mesmo a SEDUC por estar privilegiando os contratados (que em tese não são donos da vaga e SÓ a ocupam pela falta de um concursado) e as vagas são dos concursados! Em outros estados, e trabalhei neles, fui professora por 4 anos seguidos na mesma escola, cumprindo até estágio probatório e tudo mais, sei que por lei SEMPRE um professor ACT ou Contrato DEVE ceder o lugar para um professor concursado, seja pelo ingresso por concurso ou por remanejo de escola, estado ou município (permuta) enfim, o direito é do professor concursado!

      Sei que teu feriadão não será dos mais felizes, mas pense na minha idéia! Temos que nos mover pelos nossos direitos!
      Abraços

      • deanie diz:

        Gente eu vou ser nomeada só no 4° grupo e já estou ficando assustada com oq estou lendo aqui, vamos nos mobilizar e botar a boca no trombone, oq é isso temos direitos e vamos lutar por eles, se for o caso mover uma ação coletiva. Estou
        muito indignada.

    • Rita diz:

      Olá Priscila!
      Também fui aprovada para a 27° CRE, mas ainda não fui cahamada…
      Você não conseguiu escolher uma escolha pq estão priorizando os contratados? você teve acesso as vagas disponiveis só no dia da nomeação???

      Abraço
      Rita

  25. Paulo diz:

    VAMOS NOS MOBILIZAR!

    A tua situação é igual a de muitos outros que passaram neste concurso e que, injustamente, estão sendo privados do direito de escolha das escolas. Está havendo a imposição de escolas, como você relatou. É muito revoltante obter a aprovação em um concurso considerado difícil, esperar tanto tempo para ser nomeado e não ter a oportunidade de assumir vagas nas escolas de preferência, porque um contratado está lotado naquele lugar. Devemos nos mobilizar pelos nossos direitos, o que significa entrar com uma ação coletiva no MP, como sugerido pela colega Deanie, para que não tenhamos nossas vagas perdidas depois de tanto esforço. Temos que nos unir e divulgar o que está acontecendo nos meios de comunicação e, este espaço do professor Omar Martins, com certeza vai nos levar muito longe, por permitir que possamos divulgar o descontentamento, a desvalorização, a tristeza e a revolta contra a situação que está ocorrendo.
    A forma com que as nomeações estão sendo conduzidas está levando muitas pessoas a pensarem em desistir da vaga e não possamos deixar que isso aconteça. Pelo jeito a intenção do Estado é que isso aconteça para manter os contratos temporários “ad infinitum”.

    Por que não iniciaram as nomeações em dezembro/janeiro, quando os contratos terminam?

    NÃO PODEMOS NOS CALAR DIANTE DA INJUSTIÇA! VAMOS LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS!

  26. Adriana diz:

    Pessoal! Acho que temos que nos mobilizar sim, principalmente se estamos amparados pela lei. O que posso dizer é que já tenho uma escola em vista, no bairro onde moro e, nas Séries Iniciais, só tem duas professoras contratadas. A diretora foi categórica ao me dizer que eu só não tiro a vaga destas duas, mas que as restantes (contratadas), eu tiro qualquer uma. E é tirar no sentido de ocupar a vaga se eu e a escola assim desejar. Tanto que a diretora me pediu que quando estivesse em via de posses, ela me acompanharia até a SEC para solicitar a minha permanência em sua escola. Vamos ver se será assim realmente; mas caso eu seja alocada em outra escola muito distante ou ruim, certamente buscarei meus direitos de assumir qualquer vaga disponível como professora concursada.

  27. Amanda Oliveira diz:

    Olá colegas!
    Ainda nao fui chamada(sou do 3 chamada) mas ja estou me mobilizando , esta semana vou nas escolas perto aqui de casa ou na minha cidade. Quero contribuir com a MINHA CIDADE. Mas ja estou assistindo com pesar alguns colegas que estão tristes e desistindo de seus cargos.
    Esta rolando no facebook uma capanha de “solidariedade” com a classe para que os prof empossados deixem omoe stao as coisas e ocupem as vagas que nao estão ocupadas para não “tirar uma vaga de um contratado” . Mas e os prof que conseguiram passar neste concurso? como ficam?Dizem qe ter a ver com uma divisão intencional do governo para dividir a classe de prof ao meio- prof contratados vs prof concursados.
    O que acham?
    Segue um lin com a explicação de uma prof concursada que tomou posse ou quase tomou posse e as respostas que deram a ela no dia.
    abraços

    A VERDADE SOBRE A NOMEAÇÃO DO CONCURSO PARA PROFESSOR DO RS
    http://opiniaodoroteia.blogspot.com.br/2012/11/o-desrespeito-pelos-professores-recem.html

  28. Celi diz:

    Pessoal!
    Contatei uma advogada que trabalha no TRT e ela me assegurou que, embora não saiba as leis exatas e precisaria de tempo para procurá-las, que o direito as vagas é nosso e que cabe entrar com ação (agora me figiu o nome certo dado) contra a SEDUC e contra a CRE em específico nomeando as escolas que possuem contratos em nossa cidade e solicitando nossa posse em uma delas ou naquelas que nos for favorável, claro que se um outro concursado da mesma área e em colocação melhor que a nossa quiser aquela vaga, será dele, mas pela colocação e não por ser contratado, pois o fato de ser contratado não o torna mais apto ao cargo que os demais e não melhora a sua colocação!
    Ela tb falou que uma ação coletiva é bacana em termos de mobilização da sociedade, mas que pode levar bastante tempo e que ela me aconselharia a já no dia da posse ir com o papel dessa ação, no caso movida individualmente, por mim, e se não me oferecerem as escolas da minha cidade onde sei que tem vagas (contratados) eu possa fazer uso do meu direito. Ela me aconselhou a procurar um advogado e já entrar com a ação, e eu estou pensando seriamente em fazer isso.

    Espero ter dado algumas idéias!

    Abraços

  29. Michele diz:

    Pessoal, ao ler os comentários de outras matérias no blog, continuo com uma dúvida, porque tomarei posse somente dia 21 de nov. Pergunto novamente para aqueles que já assumiram, o professor não está tendo direito de escolha somente em relação à escola ou também a cidade, pois sabemos que cada CRE possui várias cidades ligadas a ela, se isso está acontecendo a situação me parece ainda mais complicada, por isso, gostaria de entender para começar a me mobilizar, visto que sei que há muitos contratos em minha cidade.

    Aguardo respostas!

    Abrçs

  30. deanie diz:

    E o cepergs nada de se manifestar né, estavam querendo anular o concurso, mas agora que a seduc começou com essa violação dos nossos direitos ninguém se manifesta, e mais foi aprovado a contratação temporária de 1500 professores, mais gente pra pegar as vagas das quais nós aprovados no concurso temos direito.É pessoal se a gente não se mexer, vamos ficar no prejuízo.

  31. Vanessa diz:

    Eu sabia que isso iria acontecer inclusive já havia postado aqui no blog, mas do jeito que esta se entrarmos na justiça nem vale a pena, eles SEMPRE tem os privilegiados e os mortais que passam no concurso tem que ir pra onde eles querem onde nenhum contrato quis.

  32. Cristiane B diz:

    Prof Omar, o teste psicotécnico realmente é capaz de reprovar alguém, já que no edital não prevê teste psicotécnico como parte eliminatória do concurso, e no caso de reprovação qual atitude deve-se tomar, há como entrar com recurso? de que forma?

  33. Michele diz:

    Por favor, alguém que já tenha tomado posse me esclareça uma dúvida, é possível escolher a cidade de abrangência da CRE para a qual nos inscrevemos? Por acaso está havendo alguma tentativa de adequação por parte da SEDUC? Ou eles estão nomeando os novos professores para longe das cidades nas quais residem?

    Obrigada!

    • Diego diz:

      Olá, Michele e demais colegas ainda não empossados!
      Tive o infeliz privilégio de ser empossado no dia 31, Quarta-feira passada e devido a estes mesmos problemas tive que esperar das 9h até as 15h para poder conhecer a escola que iria lecionar. O maior problema foi justamente no setor das vagas, em que o pessoal das CRE estavam orientados a divulkgar somente uma lista prévia de urgência, em que nela constam escola de difícil acesso, problemas estruturais e com deficiência no quadro de professores, que precisam ser atendidas com maior urgência. A princípio atendia-se sim, quanto a cidade em que se lhes indicava. Porém, não dava-se opções de escolha quanto as escolas com professores em contrato temporário, sendo por vezes arbitrário a designação da escola a ser atendida. No caso que presenciei. uma das CRE, não queria liberar a vaga que estava preenchida por um contrato, porém o professor concursado que estava para ser empossado negou-se a aceitar esta injúria e protestou durante 3 horas, tentando convencê-los dos seus direitos e negando-se a passar para o final da fila dos chamamentos deste concurso. O detalhe é que ele passou em primeiro lugar na sua área e na referida CRE e foi-lhe negado o direito de escolha a escola que ele sabia que atendia suas necessidades e que tinha a vaga que lhe cabia.
      Felizmente devido a sua insistência e conhecimento dos seus direitos o CRE foi obrigado a ceder e o mesmo recebeu a designação que gostaria.

      • Diego diz:

        Fica a nossa indignação pelo fato de que a ordem de classificação no concurso não beneficia ao concursado na escolha da escola em que possuem as vagas que estavam registradas no edital, pois as mesmas não estão disponíveis a escolha. A explicação que recebemos é que os CREs está dando prioridade às escolas que mais necessitam, estando em ordem de prioridade: 1. Escolas sem professor na área em questão; 2. Escolas que possuem vagas ocupadas por professores ainda não formados; 3. Escolas com professores que assumiram numa área que não é a sua; 4. Escolas em que os professores possuem contrato temporário mais recentemente, 2011 e 2012; 5. Por último será disponibilizado a escolha dos professores concursados as escolas em que as vagas estão sendo preenchidas por contratos mais antigos; que possivelmente nem serão alterados.
        Entende-se a preocupação, porém isto não justifica a impugnação dos direitos de escolha no momento da posse.

    • 111 diz:

      Michele, acredito q para longe eles nao mandam pq custa mais para eles… daí eles tem q pagar difícil acesso e vale transporte…. acho , q pro interior da sua cidade sim…..

  34. Michele diz:

    Obrigada ao colega Diego pela explicação e concordo plenamente, acho que os melhores colocados devem ter preferência na escolha das vagas, até mesmo porque estes professores estão bem qualificados, basta lembrar o quanto foi difícil este concurso, com número reduzido de aprovados. É muito triste pensar na realidade da educação brasileira, não há interesse em favorecer profissionais bem qualificados, pois isso refletiria positivamente na educação e parece que é justamente o que algumas autoridades não querem. Temos que nos mobilizar, utilizar dos meios de comunicação, através da internet, para mostrar nossa indignação e se for o caso buscar nossos direitos através da justiça. Esta semana vou visitar algumas escolas da minha cidade para buscar informações referentes aos contratos e estar bem preparada quando for tomar posse.
    Gostaria muito de agradecer este espaço, que está sendo de grande relevância, principalmente neste momento em que colegas que já passaram pela experiência da posse podem trazer a público os problemas e inclusive encorajar os demais colegas a tomarem uma atitude.
    Abrçs.

  35. Márcio diz:

    Bagunça! Nisso se resume o tal mutirão! Além dos problemas citados pelo colegas, houve mais de um caso de dois professores encaminhados para a mesma vaga! No dia da posse, cheguei lá na quarta-feira (turma das 17h) e só consegui sair perto das 20:30! Existe uma lista (pelo menos na 1ª CRE) que os professores tem que insistir para poder olhar! Além da tal lista não possuir nem o endereço da escola… A 1ª e a 2ª CREs eram as mais problemáticas. Quem for daqui pra frente, se prepare pra tomar um chá de banco e de desrespeito.

  36. Amanda Oliveira diz:

    Olá colegas, sinto que nós, futuros profs concursados, estamos nos tornando os “malvados” nesta história. Sabe pq? Pois pelo que eu vejo nas redes sociais, as quais converso muito com amigos e colegas de profissão, noto um certo maniqueísto por parte de alguns prof contratados, pois estes acham que vamos TIRAR seus empregos ou tirar eles da comunidade escolar .
    segue alguns pontos observados durante as conversas:

    -ALUNOS PREJUDICADOS: alunos que ja estão acostumados OU TERMINANDO ANO LETIVO COM PROFS CONTRATADOS e esta troca brusca no final de ano seria ruim principalmente p alunos.

    -Os contratados também não moram ou trabalham perto destas escolas mais “pedidas” pelos concursados, eles tb tiveram poucas opções. Trabalhando em escolas que não são perto de suas casas e que os concursados estariam querendo demais escolhendo os locais, já que existem escolas sem nenhum prof de suas especialidades.

    -E tem outro ponto: os contratados concursados que querem ficar nas escolas para poder tomar posse nelas.

    No argumento sobre os alunos sendo prejudicados eu concordo, penso que a posse deveria ter sido em épocas de ferias para nao ter esta polemica.

    Sou a favor de quando escolhermos ou pudermos escolher escolas é pq queremos construir uma história nelas, independente do lugar.

    Gostaria de saber algum retorno de colegas que ja estão indo em escolas nas quais tem prof contratados e como esta sendo a receptividade dos diretores e prof.
    desde ja agradeço.

  37. Valéria G. Bastos diz:

    boa tarde! sou da 18CRE (Rio Grande) e irei a POA fazer a pericia na proxima semana. eu gostaria de saber quanto aos exames, se ja é preciso leva-los interpretados pelo meu medico ou se a interpretaçao dos mesmos se da pelos profissionais da pericia. gostaria de esclareciementos quanto a pericia. e tambem outra duvida e quanto ao alvara de folha corrida e o de regularidade de votaçao, que na carta q recebi em casa diz que pdoe ser feito direto pelo site. mas sera que nao precisa de nenhuma assinatura, de um orgao competente?? e quanto ao CPF? eles pedem documento oficial que contenha CPF?? é o CPF comum? é uma duvida boba mas faz a diferença na hora de entregar os papeis. mais uma duvida, onde fica o predio da pericia, é o predio ao lado do monumento as açorianos?? pelo pesquisei é esse q encontrei, gostaria que alguem que ja foi me esclarecesse!! desde ja agradeço aos colegas, e parabenizo o blog, é muito esclarecedor… boa sorte a todos!!!

    • Roberta diz:

      Oi valéria, qto ao alvará e a regularidade de votação.. não precisa assinatura pq existe um número de autenticação, com o qual eles entram no site e podem verificar se é verdadeiro ou não..

      Alguém do 3º grupo já recebeu a correspondência?
      Boa sorte pra nós…

      • Roberta diz:

        Quanto ao cpf….. um documento oficial que contenha o cpf, por exemplo, a carteira de motorista….. mas eu vou preferir levar a cópia do cpf mesmo……

    • Priscila Stach diz:

      Oi
      Valéria!Já fiz o exame médico e os exames que levamos são interpretados pelo médico que faz a perícia.O prédio da perícia fica no CAAF.
      Cheguei as 7h e 30 e sai as 12h50! É bom chegar cedo!
      Abraço

  38. Celi diz:

    Aos colegas que falaram das suas experiências na posse e escolhe: OBRIGADO!

    Cada dia que passa fico mais e mais apreensiva.
    Espero sinceramente depois de toda luta pra ser professora no RS, na minha cidade, e porque não dizer (como é o meu sonho), dar aula em uma das escolas em que estudei, afinal sonhar muitas vezes nos impulsiona para as conquistas, no fim tudo possa dar certo…
    Só não aceito, e não consigo me conformar com o fato de termos passado num concurso dito “alto padrão” e não termos o direito de assumir em escolas que sabemos onde tem contratos, e não , não quero tirar o emprego de ninguém… só quero ter direito ao meu lugar numa escola da minha cidade… coisa que luto há uns 8 anos…

  39. Prof. Elisete diz:

    Boa tarde colegas, estou muito feliz por ler estes comentários e ver que independente da cre, todos temos as mesmas dúvidas. Sou a última da minha escola a ir para Poa, por isso sei de algumas coisas:
    1) no dia da perícia, é por ordem de chegada, 30 pessoas no primeiro grupos, 30 no segundo…spo no meio dia que reduz para 20 pessoas…por isso se se atrasar , chegar as 8h…poderá ser chamado no horário da tarde…
    2) o exame médico é rápido, o psico que é um pouco mais exigente…
    3) sobre a posse, pelo que me informaram, se vc é contratado pode ficar tranquilo que assume a sua própria vaga. mas se pensa em trocar de escola ou município, daí é mais difícil…quem não tem contrato não sei quais são as opções, mas que temos vagas isso tem aos montes,,,falta é usar o bom senso…
    espero ter ajudado…

  40. Alana Nunes diz:

    Eu gostaria de saber do que se tratam as 7 horas de atividades (dentro das 20h semanais), distribuidas a critério da SEDUC, que constam no edital? É para o professor preparar aula? Caso sim, é a cargo do colégio ou o professor tem direito de utilizar essas 7 horas para preparação de aulas (se é que é pra isso) sem comparecer ao colégio?
    Não sei se estou fazendo uma pergunta boba, mas sou professora de primeira viagem.

    Desde já agradeço.

    Abraços

  41. profe elisete diz:

    Oi Alana, é pra isso mesmo…mas depende da escola e cre sobre sua utilização…pode ser para reuniões da escola, cursos e demais atividades ligadas a educação…até hj sempre foram cumpridas totalmente na escola, mas parece que agora podem ser 4h na escola e as outras 3 não…nada confirmado…

  42. Roberta diz:

    Obrigada Tânia… na verdade estou no último grupo… mais uma pergunta: gostaria de saber quando começam as nomeações do terceiro grupo para calcular mais ou menos quando serei chamada?…..
    Obrigada a todos pelos esclarecimentos.

  43. Valdenira AzzolimAguirre diz:

    Bom dia colegas! As que passaram pelo processo da nomeação e posse podem me informar se necessitaram de levar fotos.obrigada!

  44. Eduardo diz:

    Roberta! Estou no 3º grupo e creio que as nomeações começam no mês de dezembro. Lembrando que teus exames possuem 30 dias de validade. Também pergunto aos colegas que já passaram pelo processo se devemos apenas imprimir o documento “Habilitação para a posse” e levar o mesmo junto no dia da convocação? Obrigado.

  45. Michele diz:

    Gostaria de saber como funciona a convocação para 40 horas, para quem entra num concurso com 20h. Caso um professor seja convocado, ele é obrigado a aceitar trabalhar 40h? E para fins de aposentadoria, o que conta são as 20 horas ou se estiver a algum tempo trabalhando 40 horas pode se aposentar com 40h. Pergunto isso porque em uma das escolas que visitei me falaram que assim que eu assumisse haveria convocação para 40h pela distância da escola, difícil acesso, essas coisas…fico com receio porque também fui aprovada no concurso do meu município, onde também aguardo nomeação. Peço aos colegas com mais experiência nestas questões que me auxiliem.

    Obrigada!

    • 111 diz:

      oi michele, nao conheço as leis.. mas acho q obrigada vc não é… e se vc tiver 20 horas no municipio e 20 no estado, nao é obrigada a pegar mais 20h….. se tentarem pressionar pois vc estará em estágio probatório, fica a dica, conversa com um advogado…..

  46. Daniel diz:

    Desculpem se pareço mal agradecido, mas este não é o blog do professor Omar?
    Onde está ele, que não responde mais nada? Somos nós respondendo às nossas próprias perguntas?

    As 20 horas previstas em edital não são grande ajuda para muitas pessoas que conheço e que passaram neste concurso. São pessoas que trabalham na iniciativa privada e ganham aproximadamente o dobro do valor pago para 20 horas. Não entendo porque os concuros não prevêem 40 horas, como empregos de pessoas normais.

    Aqui vai minha dúvida: como funciona a convocação para mais 20 horas? Quem faz, quando é feita, quem é o responsável por isso? É o próprio candidato quem faz na hora da posse? É a escola que solicita? Por favor, quem já tomou posse, nos diga como foi… se pôde escolher escola e se solicitou convocação para mais 20 horas, se teve que levar foto… esses detalhes que queremos saber…

    Quanto à perícia: cheguei às 7h10min na fila (por ordem de chegada), com dois dos formulários (preenchidos no computador e impressos) e com os exames. O local é Borges de Medeiros 1501 (e não 1151 como está no edital). Um rapaz informou na fila que o laudo seria enviado diretamente para a Seduc. Precisamente às 8h30min, sentei para esperar o exame, o que não demorou muito e foi absurdamente superficial. Nem meus exames o médico olhou, pq eles foram entregues para uma funcionária estilo Tempos Modernos, que somente os anexou aos formulários. A espera para o psicotécnico foi das 8h30min às 10h10min e o exame dura pouco mais de 1 hora. Fazer risquinhos iguais em uma folha, conversinha em grupo com a psicóloga e preenchimento de formulário. Quem passar por esta etapa sem despertar dúvidas na psicóloga aguarda fora da sala e é liberado em aproximadamente 20 minutos. Não sei informar o que aconteceu aos que ficaram para esclarecer dúvidas.

    Por favor, publiquem detalhes… eles fazem toda a diferença.

    • Editor diz:

      Boa tarde, Daniel:
      Sim, confirmo a informação: o “Blog do Prof. Omar Martins” é meu! (rsrsrs)
      Mas também é um blog colaborativo: aberto aos meus colegas, alunos, professores que querem registrar informações, dúvidas, desabafos etc.
      Pelo que estou acompanhando, isso tem acontecido nas últimas duas semanas que estou quase que totalmente afeito aos meus 4.325 alunos em cursos EAD, 4 turmas de pós-graduação em 4 capitais diferentes; e, claro, ao público mensal de 100 mil que acessam o blog.
      Tento responder a todos; infelizmente, não consigo… São mais de 300 mensagens por dia!

      Primeiro que não tenho todas as informações solicitadas; segundo por que as perguntas dos colegas que passaram no concurso do magistério do RS e que estão sendo chamados são “procedimentais”. Como deve ter acompanhado, não sou e nunca fui professor da Rede Estadual de Ensino e todas as informações que possuo sobre os aspectos de procedimento ou são baseadas em lei (lei estadual, decretos, portarias públicas) ou são explicadas por colegas, meus alunos de pós e que trabalham em assessorias na SEDUC-RS ou escolas. Ocorre que em decorrência da “correria” dos últimos dias tem sido impossível o contato. Assim, para não induzir os colegas a erro, tenho indicado o contato (nem sempre fácil!) às CREs que têm a obrigação de prestar as informações funcionais aos nomeados.

      Sobre a tua dúvida acerca do instrumento de convocação: As informações que possuo são “formais” e que estão estampadas no texto legal. Sei que elas são realizadas atendendo aos critérios e necessidades das escolas e CREs. Pelo que sei, a diretora da escola, dentro do número de alunos/quantidade de profissionais/especialistas, dificuldades de deslocamento etc, solicita o instrumento para a CRE, informando o nome do professor que poderá atender tal convocação.

      Veja o que diz o Estatuto do Magistério Estadual | http://www.educacao.rs.gov.br/dados/lei_no_06672.pdf :

      Art. 56 – O professor ou o especialista de educação com regime de 20 ou 30 horas de trabalho semanal, quando em substituição temporária, poderá ser convocado para cumprir regime de trabalho determinado, entre 24 e 40 horas semanais. (Vide Lei Complementar n° 11.390/99, que restabelece a vigência deste dispositivo)
      § 1º – A convocação se dará dentre os detentores dos cargos mencionados no “caput” do artigo, com regime de 20 ou 30 horas de trabalho semanal e formação compatível com a função que irá desempenhar e com duração máxima do ano letivo. (Vide Lei Complementar n° 11.390/99, que restabelece a vigência deste dispositivo)
      § 2º – A carga horária decorrente da convocação será remunerada com vencimentos proporcionais ao regime titulado. (Vide Lei Complementar n° 11.390/99, que restabelece a vigência deste dispositivo)
      § 3º – A substituição, devidamente justificada, será feita somente para o período e número de horas necessárias ao cumprimento da base curricular ou ao funcionamento do serviço, de acordo com a tipologia da escola. (Vide Lei Complementar n° 11.390/99, que restabelece a vigência deste dispositivo)
      § 4º – A cessação da necessidade do ensino, do afastamento ou do impedimento do titular determina a automática revogação da convocação. (Vide Lei Complementar n° 11.390/99, que restabelece a vigência deste dispositivo)

      Espero ter ajudado dentro das minhas inúmeras limitações.

      Um abraço e boa sorte!

      Prof. Omar Martins
      Facebook (FanPage): https://www.facebook.com/prof.omarmartins | Perfil: https://www.facebook.com/omarmartins
      Twitter: @profomar
      Blog: https://profomar.wordpress.com
      E-mail: prof.omar@terra.com.br

      • Daniel diz:

        Professor Omar,

        Só pra que a minha crítica fique bem entendida. Seu blog é ótimo e realmente é o único que presta este tipo de informação. Não quero que minha crítica seja um desestimulante, mas acredito que muitas perguntas que ficam sem resposta são de extrema importância, não somente para quem perguntou, mas para quem tem dúvidas similares. Não lhe coloco a responsabilidade de responder todos os questionamentos, até porque em um blog que se propõe a responder perguntas, a responsabilidade é dividida entre o administrador e os blogueiros. Só gostaria que o senhor aparecesse mais (principalmente neste momento de tanta tensão) e que os blogueiros respondessem as dúvidas, e não ficassem reclamando de coisas absurdas como o tempo de espera na perícia ou na posse. Se você não quer esperar amigo, nem compareça. Isso é o Estado e todos conhecemos a desorganização e o descaso.

        Também acho importante que, ao invés de as pessoas publicarem um desabafo inútil, se concentrem em fornecer informações às outras pessoas, como eu fiz, no intuito de ajudar os próximos. Com a bagunça já demonstrada pela Seduc-RS, essas informações são cruciais e fazem a diferença.

        Tenho perguntas e mais perguntas. Tenho certeza que, ou não foram respondidas pelos colegas ou pelo senhor, ou ainda não foram formuladas:

        • Na posse, temos que levar foto?
        • Alguém pode, por favor, descrever sua experiência de posse e não ficar reclamando da espera ou da escola que queria ficar e não ficou? Os detalhes são bem importantes para o esclarecimento de dúvidas.
        • Após assinar os papéis na posse, como fica a interação com a escola? As diretorias das escolas estarão no ginásio da brigada? Nos serão fornecidos os endereços das escolas para que compareçamos lá? Uma vez lá, os diretores ou diretoras conversarão com a gente?
        • Essa história de atendimento conforme a classificação na posse é séria ou o atendimento é por ordem de chegada como foi na perícia?
        • Como funciona a questão do IPE?
        • O Estado paga refeição e deslocamento aos professores? Ouvi dizer que alguns não recebem o deslocamento e que outros recebem alimentação em torno de R$ 4,00.

        Agradeço ao professor pela pronta resposta e peço aos colegas que contribuam para dirimir as dúvidas. Já fiz a perícia e também posso esclarecer algumas.

        Obrigado pela atenção.

  47. Michele diz:

    Acho que isso não muda nada, caso haja contratos e a escola se adequar às nossas necessidades podemos negociar porque a nomeação deve ser sempre superior ao contrato, pelo menos assim espero!

    Abrçs.

  48. Celi diz:

    Só a nível de informação:

    ZH de ontem (07/11) trouxe uma reportagem de página inteira falando do concurso e trazendo alguns dados ( pág. 26)

    O Correio do Povo (tb de 07/11) trouxe uma nota na pag. 12 falando sobre uma denuncia ao Ministério Público sobre o favorecimento de vagas.

    Daqui por diante somente informações néh Prof. Daniel!

    Abraços pessoal!

      • Celi diz:

        Roberta,
        Quanto ao correio do povo só trata da denúncia mesmo.
        Quanto ao ZH traz em nºs as decisões dos 1ºs chamados, vários desistiram de assumir,alguns foram para o final da lista e alguns prorrogaram a posse, o que acho que pode ser uma opção viável pro pessoal do 2º grupo (assim quando for pra assumir já estará no final das aulas e não teremos os alunos contra nós dizendo que foram prejudicados em termos de nota, pelo menos a meu ver). Mas o que mais chamou a atenção é que os alunos das escolas maiores estão fazendo abaixo assinados e enviando pra SEDUC para solicitar que deixem seus professores e adiem nossa entrada para não serem prejudicados (por isso minha idéia de adiar a posse).
        Cada um vai ter que pensar e ver o que é melhor para si.

        Abraço

  49. Alana Nunes diz:

    Não me assustem, que história é essa de convocação pra 40h? Não tenho 40h disponíveis, apenas 20 e fiz esse concurso pq no edital constavam 20h. Há a possibilidade de convocação para mais que isso? Podemos recusar, caso haja, sem ficar prejudicados?

    Abçs

    • Michele diz:

      Oi Alana, a possibilidade de convocação existe, mas minha dúvida também é essa, será que podemos recusar, porque eu também a partir de março de 2013 não terei 40h disponível. Em uma visita a uma das escolas aqui da minha cidade a diretora me disse que logo que eu assumisse ela solicitaria à CRE a convocação porque se trata de uma escola de difícil acesso, por isso, a pessoa que vai no turno da manhã se obriga a ficar a tarde porque não tem ônibus ao meio dia para a cidade. Pelo que entendi a necessidade é mais para estes casos, como o que acabei de relatar.
      Abrçs.

      • Nara diz:

        Olá, já sou nomeada e convocada pelo Estado há mais de 15 anos e prestes a ter minha segunda nomeação e penso que posso colaborar quanto a este assunto: A convocação depende primeiro da necessidade (então não adianta somente se querer) e também da possibilidade do professor (ele deve querer ou não) o concurso foi para 20 horas então sem problemas em não querer. Existem várias leis de convocações e carga horária diversas. E quanto a levar para aposentadoria existe a seguinte regra:: ter convocação por 5 anos sem interrupções ou 10 intercalados E estar com convocação no ato da aposentadoria (regrinha básica para a maioria das gratificações (difícil acesso, gratificações de direção, unidocência…)

    • nelson atigal diz:

      Quando o concursado tem 20 horas, tem plenos direitos sobre ocontratado. Mas quando tem mais uma convocação, direitos maiores é do contratado assim esta na lei.Mas estamos confundindo nomeação para 20 horas com convocação.

  50. Daniel diz:

    Reproduzo aqui uma notícia que achei na net sobre o que está acontecendo com quem já foi empossado:

    Polêmica no Rio Grande do Sul. Faltando pouco para o fim do ano letivo, o governo nomeou e colocou em sala de aula cerca de 900 professores dos 5,5 mil aprovados no último concurso para o magistério estadual. De acordo com a secretaria de Educação, havia uma cobrança da comunidade escolar, além de existir vaga em várias escolas. Contudo, alunos reclamam a perda do convívio com professores que passaram o ano inteiro com as turmas, alegando ainda que pode haver problema no relacionamento com os novos docentes, prejudicando a ambos os lados. As informações são do jornal Zero Hora.

    Para Heloíza Rameno, vice-diretora do Instituto de Educação General Flores da Cunha, em Porto Alegre, a “SEC não deveria sequer pensar em uma troca de professores nessa altura do campeonato”. Na terça, houve protestos em frente à escola. Um abaixo assinado deve ser enviado à secretaria.

    Procurada pelo Terra, a secretaria estadual de Educação informou que já ansiava por colocar esses professores em aula desde o começo do segundo semestre, mas que por fatores burocráticos, como a comprovação de títulos por parte dos aprovados, a posse acabou atrasando. “Nossa expectativa era colocar esses professores em sala de aula a partir de julho e agosto”, explicou Virginia Nascimento, diretora de Recursos Humanos da SEC.

    Segundo Virginia, havia a necessidade de qualificar a rede de professores e os critérios adotados seguiram uma ordem. Primeiro, foram atendidas as escolas com carência de professores. Depois, foram substituídos os contratados sem habilitação completa, mas cujo tempo desde a nomeação já teria sido suficiente para o fim da graduação. “O contrato emergencial permite que um aluno a partir do 4º semestre possa entrar. Tinha gente nessa condição que entrou em 2008. Estamos em 2012 e alguns ainda estão empacados no 4º ou 5º semestre, quando já poderiam estar até em uma segunda graduação”.

    O critério seguinte atingiu professores que estavam atuando fora da área de formação. E, por fim, pegou os contratados mais recentemente.

    Foram nomeados 1193 professores, sendo que 900 tomaram posse. Outros 100 não compareceram e o restante ou pediu prorrogação ou solicitou para ir para o fim da fila. “A nomeação ocorreu em 16 de outubro. A posse, em um mutirão, nos dias 30 e 31. Depois disso, temos 15 dias para colocar o professor em sala de aula. Nesta segunda eles começaram a se apresentar nas escolas. Em locais onde há insistência por parte da direção, permitimos que haja um período de 10 dias de transição, em que o novo professor e o que está saindo trabalharão juntos, para que não haja prejuízos aos alunos”, explica Virginia.

    Nesta quinta, dia 8, devem ser nomeados mais 1,1 mil docentes. A posse está prevista para os dias 21 e 22 de novembro. O Rio Grande do Sul possui hoje 21.640 professores com contratos emergenciais. Dos 5,5 mil aprovados no último concurso, 1,4 mil são professores contratados nesse regime e cerca de 600 conseguiram a segunda matrícula.

  51. Roberta diz:

    JÁ EU COMPARILHO AQUI UMA NOTÍCIA DO SITE DA 14ª CRE

    Mais uma atitude absurda e irresponsável promovida pelo atual governo prejudica a educação pública no Rio Grande do Sul, em pleno final de ano letivo. A Secretaria de Educação decidiu utilizar a nomeação de aprovados no último concurso para demitir inúmeros professores contratados e semear medo e confusão entre os educadores.

    Essa atitude não tem nenhuma justificativa razoável. O governo poderia nomear os novos professores sem necessidade de retirar o emprego de nenhum educador, pois existem centenas de escolas com falta de professores. Poderia, se usasse como critérios a justiça e o respeito ao trabalhador, localizar os concursados sem prejudicar o encerramento do ano letivo. Porém, o que menos importa para o governo Tarso é respeitar o trabalhador em educação e a comunidade escolar.

    O descaso é tão gritante que estão sendo dispensados professores que há muitos anos estão trabalhando nas escolas, sob o regime de contrato temporário. Esses mesmos professores, que não têm garantido sequer os direitos trabalhistas mínimos ficaram anos atuando nas nossas escolas sem que o Estado realizasse concurso. Por último, enfrentaram um concurso com critérios ilegais e deliberadamente difíceis de aprovação e agora são submetidos a demissões sumárias. E tudo isso é feito pelo mesmo governo que acaba de enviar um Projeto de Lei à Assembleia Legislativa para efetuar novas contratações emergenciais no início de 2013.

    Toda essa situação caótica está gerando uma grande revolta em toda a comunidade escolar. Não há nada que explique os prejuízos que estão tendo professores e estudantes. O CPERS/Sindicato denuncia essa ação perversa e irresponsável do governo e se solidariza com os educadores, que, com sua valiosa dedicação, vem lutando cotidianamente por uma escola pública de qualidade para o povo gaúcho.

  52. Roberta diz:

    Eu concordo que, agora não é hora de mudar os professores pois falta menos de 2 meses para o final do ano letivo, porém, isso não impede que estes professores CONCURSADOS, sejam empossados numa escola onde existem contratados

  53. deanie diz:

    Também concordo que não é hora de mudar os professores, porém se nós tivemos a capacidade de passar neste concurso, os professores que estão em contrato temporário também tinham, se o problema fosse a prova ninguém teria passado, então chega de privilégios, cargos públicos devem ser ocupados por profissionais CONCURSADOS para não haver privilégios, só o que queremos aqui é que a constituição do nosso país seja respeitada.

  54. Amanda Silva diz:

    Caro Daniel, pelo que eu compreendi, este blog é para compartilharmos informações, mas também opiniões e notícias sobre os assuntos de cada post. Se as informações para você são mais importante neste momento, sugiro que leia as mensagens de quem já esta respondendo, é só ler com mais calma as postagens.

    Sobre o assunto “Posse:dificuldade de escolher escolas”, realmente conheço 3 colegas que adiaram 15 dias por causa da imposição das escolas pela Seduc.
    Mas o que eu acho que deveria acontecer é unir os professores contratados em um periodo de transição junto com os concursados. E os contratados após este periodo(em janeiro por exemplo) seriam convocados para as escolas nas quais ha vagas.

    Pois o que eu acho injusto é que tem muitos contratados que não passaram no concurso(ou estao nas últimas chamadas) e vão ficar trabalhando por mais varios anos em escolas que alguns prof concursados gostariam de trabalhar, por ser perto, longe, pela comundiade, o que for.
    Acho que a crítica dos prof concursados, a príncipio, é que deveriam escolher as escolas, pois querem construir uma historia por lá, contribuir profissionalmente na comunidade escolhida. Nao adianta colocar concursado em escolas nas quais eles não tem possibildiade de horario, transporte e etc por cusa de profissionais que a principios são temporários.
    Entretanto acho injusto também colocoar “para fora” um professor de uma hora p outra das escolas
    É complicado…

    PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR:
    Colegas concursados que já estão nas escolas: Como estão sendo recebidos pela comunidade escolar?
    Queremos notícias(espero que boas!).
    abraços

    • Daniel diz:

      Oi Amanda, realmente a troca de informações é importante. O que acontece é que tem gente reclamando de coisas que são absolutamente normais, como a espera demasiada, entre outras. Acho que seria bem mais produtivo trocarmos informações que realmente possam ajudar ou esclarecer. Essas notícias reproduzidas por nós são ótimas, pois revelam o que nos espera após a posse.

      Entretanto, ainda não consegui respostas para a maior parte dos meus questionamentos práticos. Alguém conseguiu abrir conta no Banrisul? Eu ainda não porque o banco precisa saber o número da matrícula no Estado, o salário e o cargo.

      Ouvi também que existe a portabilidade bancária e, se você possuir uma conta corrente em outro banco, o salário pode ser depositado diretamente lá.

      • Daniel diz:

        Após dois milhões de tentativas consegui falar com a Seduc.

        Alguém perguntou se precisava levar foto na posse. A foto só é necessária na perícia, para ser anexada aos formulários. Se não pedirem, não tem problema (para mim não pediram).

        Quanto à conta no Banrisul: devemos levar apenas o número da agência em que queremos que a conta seja aberta. Quando recebermos o primeiro pagamento, devemos comparecer à agência para criar a conta.

        A posse é por ordem de classificação mesmo, e não por ordem de chegada, como a perícia. Achei importante perguntar isso, porque o edital da perícia indicava horário para determinado grupo de classificados e isso não se confirmou, bem como o endereço, que estava errado.

        Outra coisa que pode ter ficado dúbia: o local da posse é Aparício Borges, 2001. O quê tem lá? É o ginásio da brigada.

    • Vanessa diz:

      Amanda esta sendo bem dificil na minha escola os alunos estavam apegados ao professor e resolveram ficar contra mim, pq eles nao entendem. Nossa essa epoca do ano é super ruim pegar as turmas.

  55. Michele diz:

    Gostaria de saber daqueles que já receberam o lauda médico no dia da posse, o que consta neste tal laudo, fiquei preocupada porque não me disseram nada no dia da perícia…não sei se estava tudo bem ou não….mas acho que eles não iriam fazer a pessoa ir para o dia agendado para a posse se não estivesse tudo bem, afinal muita gente irá se exonerar de cargo que ocupava para assumir este concurso…será que poderá acontecer de chegar no dia da posse e alguém ter reprovado nos exames médicos? Desculpem, pode parecer bobagem minha preocupação, mas saí de Porto Alegre com esta dúvida.
    Obrigada!

    • Roberta diz:

      Oi Michele…..
      T
      ambém tinho esse medo… mas conversando com algumas pessoas, cheguei a conclusão de que… passamos no concurso e esses exames são apenas formalidade para assumir o cargo, da mesma maneira que ocorre em empresas privadas, testes psicológicos, exames médicos……

      Aliás, pelo que o colega divulgou acima que saiu na Zero Hora, dos 1193….900 foram empossados, pq 100 não compareceram e os outros, ou desistiram, ou passaram ao final da lista.

      Ao menos é o que eu acho e que me anima em esperar mais……..
      Abraços

      • Daniel diz:

        Roberta, achei muito estranho esses números. Se 1.100 candidatos deveriam se apresentar em dois dias, esperava-se que 550 aparecessem em cada dia. Fiquei das 7h10min até 11h50min na perícia e com certeza não havia duzentas pessoas.

        Acho que muitas vagas irão sobrar. Ainda mais com a divulgação de tanta desorganização.

      • Michele diz:

        Obrigada Roberta, agora que falastes reli os comentários e se estes números realmente estiverem corretos acho que está tudo tranquilo então, porque isso significa que ao menos em relação aos exames não houve grandes problemas!
        Agora resta torcer para que consigamos ficar na escola que desejamos, além é claro, que não venhamos a passar por mais situações de estresse ao entrar em sala de aula a essa época do ano. Eu particularmente não pretendo adiar a posse, ainda que saiba das dificuldades que me esperam, porque como não há muitas escolas em minha cidade, corro o risco de outras pessoas assumirem as vagas existentes e eu acabar indo para outra cidade.

        Abrçs.

      • Dai diz:

        Oi Roberta! Também sai de lá hoje, com a mesma dúvida! Como será que ficará o laudo, pois no psicotécnico fiquei sei resposta, a psicóloga apenas me desejou boa sorte! Eu preciso de sorte? Só queria saber se ela já dá o veredito na hora naquela ficha de dados ou ainda serei avaliada depois?
        abraço!

  56. Alana Nunes diz:

    Daniel, eu abri conta no Banrisul apenas com documentos de identidade, cpf, comprovante de residência e a carta de nomeação. Só não tenho limite ainda na conta pois não mostrei meu primeiro contra-cheque, mas assim que tiver levo lá e eles colocam.

    • Daniel diz:

      Foi o funcionário Antônio da Seduc quem me confirmou essa informação hoje pela manhã. Que bom que conseguistes. Para mim, a funcionária abriu uma ficha na tela e não conseguiu finalizar o procedimento sem o número da matrícula. E pelo que o Antônio deu a entender, não fui o único com esse problema. Fica a dica.

      • Roberta diz:

        Daniel, olhei o cronograma de posse e realmente é isso…. 250 pela manhã e o restante a tarde, fechando os 550 do dia….

  57. Roberta diz:

    Daniel… estive olhando os cronogramas……
    Para a perícia eram 100 por dia…. todos pela manhã pelo que vi…..
    e para a posse eram 250 pela manhã e o restante 250 a tarde (isso sem os cotistas)… até as 18h ou seja, na posse em dois dias quinhentos e pouco por dia….

  58. Janaina diz:

    Michele: Te aconselho a ligar para o DMEST, pois teve um colega de grupo da perícia que chegou na posse todo animado e lá descobriu que o laudo não havia chegado. Esperou um tempo e teve a notícia de que rodou no psicotécnico. Não perdeu a vaga, mas foi para o fim da fila e vai ter que refazer todos os exames. Em contrapartida, soube de um professor da 5ª CRE, que foi comunicado que não passou no psicotécnico e, por isso, não perdeu tempo com deslocamento. É o que podemos chamar de falta de comunicação e confusão generalizada.

    Aos demais: Levem a foto na perícia. Na posse, não precisa levar comprovante da pós, pois eles só aceitam a partir de março.

    Na posse, insistam para ter acesso a LISTAS (Sim, são várias!) DE TODAS AS ESCOLAS (SEM PROFESSOR E COM CONTRATADO), pois é direito!. É muito lamentável a falta de respeito que está acontecendo com todos os que passaram nesse concurso difícil e que estão sendo privados do acesso às informações.

    Aconselho a levar um mapa individual para localizar as escolas, já que só dizem o nome, a rua e adivinhem se puder… BATAM O PÉ, não aceitem imposições. Eles sabem que tem uma ação no MP relatando os problemas que ocorreram e que, possivelmente, voltem a ocorrer.

  59. Paulo diz:

    ATENÇÃO!!! SOBRE A POSSE E O EXERCÍCIO.

    LEI Nº 6.672, DE 22 DE ABRIL DE 1974.
    (atualizada até a Lei nº 13.424, de 5 de abril de 2010)
    Estatuto e Plano de Carreira do Magistério
    Público do Rio Grande do Sul.

    Art. 18 – A posse verificar-se-á até 15 (quinze) dias após a publicação do ato de
    provimento no Diário Oficial ou, em até 5 (cinco) dias, a partir da publicação do laudo médico
    de que trata o artigo 17, inciso VI, desde que o nomeado ou o reintegrado tenha se apresentado
    para a realização dos exames de saúde dentro dos 15 (quinze) dias e a eles se submetido nas
    datas aprazadas. (Redação dada pela Lei n° 12.292/05)

    Art. 19 – Exercício é o desempenho do cargo pelo professor ou especialista de educação
    nele provido. (Redação dada pela Lei n° 10.576/95)

    § 1º – O exercício do cargo será iniciado dentro de 5 (cinco) dias da posse. (Redação
    dada pela Lei n° 12.292/05)

    § 2º – Não se iniciando o exercício no prazo do parágrafo 1º será tornado sem efeito o
    ato de provimento. (Redação dada pela Lei n° 10.576/95)

    § 3º – Os candidatos cujo ato de provimento for tornado insubsistente, na hipótese do
    parágrafo 2º deste artigo, bem como, na do parágrafo 2º do artigo 18, serão incluídos na lista dos aptos à nomeação observada a ordem de classificação, após o último aprovado, constante do edital de homologação do resultado final do concurso. (Redação dada pela Lei n° 10.576/95)

  60. Roberta diz:

    PESSOAL ENCONTREI ESTE ARTIGO NA NET… ESTE É APENAS O RESUMO.. QUEM TIVER INTERESSE ACESSE O SITE ABAIXO:
    http://www.ambito-juridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=11122&revista_caderno=4

    Testes psicológicos nos concursos públicos: dilemas e reflexões entre Direito e Psicologia
    Rodrigo Valgas dos Santos

    Resumo: O presente texto trata dos testes psicológicos nos concursos públicos. Da pesquisa realizada conclui-use que acesso a cargo ou emprego público está exclusivamente condicionado à realização de provas ou prova e títulos (art. 37, II, da CR), sendo que a utilização dos testes psicológicos – desde que previstos em lei – jamais poderá ser ter cunho eliminatório, como verdadeira etapa do concurso público, mas apenas em sede de exames admissionais. Outro ponto relevante é que ante a total lacuna normativa a regrar a incidência dos testes psicológicos no Brasil, e por não dispormos de regulamentação legal quanto ao tema, de todo razoável a opinião dos administrativistas que os testes apenas poderão ser utilizados para mensurar a higidez psíquica dos candidatos; Concluiu-se que a aplicação de testes psicológicos quando precedidos de provas (relativas ao conteúdo programático do concurso) que mensuram habilidades e aptidões a exemplo de raciocínio abstrato ou inteligência, deve considerá-las para fins de avaliação psicológica. Também partimos da premissa que nem todos os cargos ou empregos públicos estão sujeitos à testagem psicológica. Apenas àqueles que colocam em risco a sociedade ou a vida é que podem estar sujeitos a testes psicológicos e sempre na fase admissional. Quanto a exigência do perfil profissiográfico, verificamos que não pode ser determinada para qualquer cargo ou emprego público, mas apenas àqueles cuja exigência de certo grau de habilidades e equilíbrio emocional seja totalmente indispensável para seu efetivo desempenho, não podendo realizar eugenia psíquica, distorcendo o ingresso na Administração Pública ao impor requisitos irrazoáveis. Consoante o que reiteradamente tem decidido o STF, é indispensável a previsão em Lei formal para que se possa exigir testes psicológicos, não suprindo tal requisito mera previsão no edital do concurso público. A necessidade de lei formal incide tanto para cargos como empregos públicos. Com efeito é indispensável a minudente previsão editalícia de todos os critérios de avaliação do s candidatos (nunca a posteriori), a exemplo do tempo de duração dos testes, quantos serão aplicados, o percentil de corte, o índice mínimo a ser obtido em cada teste, como serão calculadas as médias etc., sob pena de nulidade do teste psicológico. Por fim, os testes psicológicos devem ser aplicados em condições ambientais adequadas sob pena de comprometimento da precisão e fidedignidade do teste, nos termos exigidos no artigo 1º, §2º, da Resolução CFP nº 01/2002.

  61. Michele diz:

    Eu também já li alguma coisa do tipo, mas parece que neste caso, pelo o que a colega relatou, não reprova, apenas adia a posse e causa o estresse de ter que voltar no mínimo mais duas vezes mais em POA e realizar os demais exames novamente, mesmo que os demais não tenham apresentado problemas, ou seja, refazer a perícia. É muita coisa….até parece que estamos entrando para um cargo de alto gabarito a nível federal para ganhar uns 20 mil reais por mês, como se não bastasse a tortura que foi aquela prova deste concurso, imensa, eu mesma pensei que não iria dar tempo de terminar, a apreensão já começou aí, a demora para divulgação do gabarito e assim por diante. É desanimador, acaba com a alegria de uma realização toda essa burocracia, falta de informações importantes e dificuldades impostas. Pode parecer exagero, mas já não tenho nem um décimo da animação que tinha quando me inscrevi para este concurso! Desculpem o desabafo!

  62. Gislaine diz:

    Pessoal, por favor, me esclareçam uma coisa:
    O local de posse (para o 2º grupo) não é Av. Aparício Borges, 2001 – Bairro Partenon – indicado pelo site da SEDUC??
    Nosso colega Daniel afirmou em uma postagem que seria em outro local: Aparício Borges, 2001. Se alguém souber me responder, por gentileza, me esclareçam esta dúvida. Obrigada.

    • Celi diz:

      Gislaine
      É no endereço que a SEDUC passou sim!
      O Daniel só chamou a atenção que neste endereço é o Ginásio da Brigada, pois a Brigada está auxiliando nos processos da posse já que foi a primeira categoria a adotar estes procedimentos de realizar mutirões para a posse facilitando assim a inclusão do servidor em folha de pagamento e afins do Estado.

      Abraço

  63. Michele diz:

    Pessoal, só para avisar aos demais colegas que também tiverem alguma dúvida em relação à perícia, ao laudo, o DEMEST está informando por telefone o resultado da avaliação. Segui a sugestão da colega Janaína e entrei em contato com eles, graças a Deus deu tudo certo com meus exames, havia ficado um pouco preocupada porque fui chamada para entrevista no psicotécnico e achei um pouco desconfortável. Vai a dica, se alguém tiver dúvida entre em contato, mas não esqueçam de que no caso de reprovação nos exames é possível refazê-los e passar para o final da fila.
    Obrigada aos colegas que me orientaram!
    Abrçs.

    • Amanda diz:

      Oi Michele! que bom que vc conseguiu!
      è so ligarmos para lá que eles informam o resultado então? depois de quanto tempo?

      Gostaria de relatar como foi a entrevista individual(só alguns são entrevistados assim)

      Sou da 3ª chamada e hoje foi minha perícia.
      Gostaria de compartilhar minha experiência na temida entrevsta individual com a pscóloga, é um desabafo também…

      O teste psicotécnico eu também fui entrevistada individualmente, pelo que eu entendi meus “pauzinhos” não estavam exatamente iguais aos modelos da folha entregue na prova(eles estavam menores e o traçado mais gordinho, mas não estavam fora das linhas. Olha eu aqui tentando justificar …) e porque eu coloquei como “momento/fato mais desagradável na minha vida”(ou algo asim) foi a separação dos meus pais! A psicóloga disse que eu precisa trabalhar sobre isso, mas eu disse para ela que eu coloquei algo da minha vida, pensando nela toda e ela disse que eu tinha levado isso para a vida adulta… olha.. sai desta entrevista individual constrangida,mas descobri com outros colegas durante a pericia que se você coloca nesta pergunta: morte dos pais, e separações familiares, parece que eles acham que você ainda não deixou isso de lado na tua vida e por isso você precisa desenvolver melhor isso e tals.
      O fato de eu estar na Ufrgs realiando minha 2ª graduação(pedagogia) foi levado em consideração por ela, peruntando para mim se eu iria conseguir conciliar os estudos de uma 2ª graduação com o trabalho.Dai eu fiquei bemmmmm constrangida! Pois estou estudando para qualificar e tenho objetivos quanto a isso, mas parece que foi visto como algo que poderia atrapalhar.
      Me senti neste momento como um ET!

      Outra coisa que foi destacado por ela, foi na pergunta sobre “fatores que me desagradam”(nossos defeitos) um deles coloquei insegurança, e esta caracteristica ela disse que foi demonstrada no teste psicotecnico dos traços..
      Ou seja: CUIDADO pessoal com o que colocam no exame, “sinceridade” não é o foco e sim as interpretações do que escrevemos .
      -Uma dúvida: meu exame de urina foi preciso refazer, o médico disse que se continuar com “alterações” vou precisar de um laudo médico da clinica que eu fiz o exame, seria uma prescrição para algum tratamento para resolver esta alteração?
      Desde já agradeço a atenção e um abraço!

  64. nelson atigal diz:

    Ola Colegas,
    Creio que agora que estou aprovado e nomeado sou funcionario pública e estou a disposição da secretaria de educação. Portando devo sequir ordens. Irei para qualquer escola que o estado me designar. Reclamar de contratados é pura demagogia de minha parte. Pois contratados são juntamentais para a educação. Muito estão a mais de 15 anos. Concurso era coisa que não existia. Trabalharam e não tinham tempo para esdudar os diversos autores que nos procupanhas. Então eles ,os contratados trabalhavamn 40 horas puxadas.
    Não vou recrimina-los de jeito nem, sou humano e não tenho corrasgem e men moral para desativa-los de sua escola.

    • Luis Fernando da Silva diz:

      Caro, Nelson. Conforme informação divulgada hoje, 12/11, nesse blog mesmo, o governo estadual está substituindo o maximo de contratados por concursados. Haverá mais um concurso no inicio de 2013 oferecendo mais 10 mil vagas. O universo dos contratados no magisterio do RS são 22mil (em torno). Portanto, seria muito util nao fomentarmos esse falso atrito entra contratados x concursados, pois, a grande maioria seria destituida/substituida por concursados, conforme manda a lei. O regime de trabalho temporario é muito precario e explorador, por isso, acho muito boa essa atitude do governo em criar um “quadro de professores nomeados e estáveis”, pena que, como quase todo serviço publico nesse país, esta ocorrendo com muito atropelos.

  65. Andreia Paida diz:

    Pessoal, quanta gente apavorada, mas algumas dicas que acho importante apresentar: a foto é necessária embora não conste no edital, tenha uma em mãos na data da PERÍCIA MÉDICA. No dia da perícia além dos exames, conforme orientações dos editais, vc dererá ter também um documento original com foto (RG ou Habilitação) e:

    ◦Declaração de Saúde

    ◦Formulário de ingresso no DMEST

    O restante fica para o dia de posse.

  66. Valéria G. Bastos diz:

    Boa noite, fiz a pericia ontem e correu tudo bem… achei tudo bem organizado e o pessoal bem simpatico! Gostei muito do tratamento por parte do pessoal da pericia. agora, é só esperar a posse e saber para qual escola irei! boa sorte a todos!

  67. Daniela diz:

    Pessoal,irei a POA dia 21,data da minha posse, e estou com dúvida sobre a prorrogação de 15 dias para entrar em exercício. Como funciona? Pedindo esses 15 dias de prorrogação será que tenho que comparecer em POA novamente para tomar posse? Quem fez esse procedimento ou quem conhece alguém que fez o pedido, por favor me esclareça essa dúvida.

    Tendo em vista que estamos em final de ano acho que o caminho mais viável é solicitar esses 15 dias, mas não quero enfrentar a distância de 220 km até a capital pela terceira vez… Desde já, agradeço a informação.

  68. ibrisoti@yahoo.com.br diz:

    Acho que o governos do RS deveria rever os contratos, e ver que está com sua faculdade em dia e fetivá-los e os que já estão formados, e não demití-los. não acho que uma prova deva qualificá-lo e como ficam as esperiências e sua formção. Agora irão demitir 22 mil professores, isso é injusto,

  69. Valéria G. Bastos diz:

    Concordo que o Governo tenha que rever os contratos, até porque tem professores que estao com contratos há mais de 5 anos… é injusto com quem estuda e se prepara para um concurso e consegue a aprovaçao! Contratos sao mais para quem tem “conhecimento” na CRE!!! O concurso é a melhor forma de ingresso no funcionalismo publico estadual!! Parabens ao Governo por esta iniciativa, porque contrato nao é garantia para ninguem….

  70. lucas diz:

    É…mas realmente é necessário rever os temporários contratados mesmo, pois já possuem eXperiênica, logo deveriam ser aprovados no concurso bem como conhecimentos adquiridos lecionando esses anos. Muitos temporários carecem de conhecimento tanto é verdade que na própria prova de seleção não obtiveram mais do que 5 acertos na prova da disciplina em que atuam (tive conhecidos que atingiram apenas 1 ponto na específica) outros além disso estão muito desmotivados. Concordo com a Valéria sobre o “conhecimento” na CRE sobre os temporários, já que muitas vezes o tal processo de seleção de temporários nem sempre é justo. E por favor colegas, erros de digitação ainda podemos entender, mas erros grosseiros de português, sem comentários. Grato, professor Omar pelas oportunidades no blog, sigo sempre as notícias. Obrigado, novamente!

  71. Roberta diz:

    Caros colegas, cada um tem uma opinião…..

    Trabalhei como contratada temporária em outro estado, e como o próprio nome diz… CONTRATO TEMPORÁRIO…… saiu um concurso e fiquei fora do numero de vagas….. ou seja, fui demitida…..

    Se existe o concurso, é justamente para fazer uma SELEÇÃO, acho muito justo que quem foi aprovado no concurso seja nomeado e substitua os contratados….

    Agora, efetivar os contratos, isto sim seria injustiça, pois quem fez o concurso tinha as mesmas chances de aprovação.
    Vagas existiam (e ainda existem), e muitas, tanto que sobraram quase 5mil neste concurso.

  72. Luis F. da Silva diz:

    O próprio “regime” do contrato temporário é uma amostra do desprezo. Ao invés de se respeitar o concurso publico que estava em vigor (o ultimo de 2005 se nao me engano / ou fazer um novo a cada 4 anos) e ir chamando os classificados para ocuparem as vagas que vão surgindo naturalmente no magistério, os sucessivos governos que assumiram o Estado foram improvisando com “contratos temporários”; mostrando o descaso com a educação.
    Tem mais, não é um descaso com a educação somente, e sim, com os proprios profissionais formados que precisam de sujeitar à precariedade do contrato temporário para poder trabalhar na área.

    Essa vergonha praticada há tempos pelo governo estadual deveria ser criticada e combatida. Por que nas prefeituras praticamente nao existem contratos temporarios? Por que no Estado deve existir e ainda há aqueles que defendem isso?

    Nós, professores, devemos cobrar um magistério com servidores estáveis e efetivos, nao suscetiveis às demissões sumárias (greves, faltas justificadas que nao agradam diretores) e usurpação dos direitos trabalhistas (plano de carreira).
    Já chega a precariedade estrutural da escola, familias, etc; ainda temos que aceitar essa vergonha imposta para a categoria chamada “contrato temporário”?

    Vamos abrir os olhos pessoal.
    Temos direitos e deveres como cidadãos, mas estamos bitolados somente aos deveres.

  73. Alana diz:

    Gente, SOCORRO!!!!!!!!!!

    Fui com um amigo na minha CRE hj, buscar informações sobre os colégios disponíveis (minha posse é depois de amanhã). A senhora que me atendeu não só não me informou sobre os colégios (disse que só terei essa informação no dia da posse), como fez um discurso sobre a necessidade de professores nas cidades da região (não a que eu moro). Expliquei que fica inviável pra mim ir e voltar todos os dias no primeiro mês, pois to sem grana e ela respondeu que fica inviável ir e voltar SEMPRE. Diz que o melhor que tenho a fazer é alugar uma “peça” no lugar para onde vou e morar por lá. Argumentei que faço faculdade a noite e estou no último semestre (é minha segunda faculdade, já possuo pedagogia, o que me permite assumir nesse concurso) e ela não demonstrou muita importância pra isso, ao contrário, só enfatizou, mesmo sem termos perguntado, a necessidade de professores nos assentamentos e locais distantes. To apavorada!! Além de ter uma mãe doente em casa (que só tem a mim, pois sou filha unica), teria que largar a faculdade, pagar despesas em outra cidade com um salário de fome.

    Por favor, quais são os meus direitos??

  74. Selma diz:

    Boa tarde, achei seu blog por acaso e resolvi participar com uma dúvida.
    Fiz concurso federal em um estado fiquei classificada, mas não aprovada, pois estava no excedente do número de vagas. Um orgão federal de outro estado entrou em contato comigo pra saber do meu interesse por uma vaga na minha área nequele orgão, eu disse que possuia sim o interesse, solicitaram a liberação ao orgão o qual prestei o concurso, meu nome foi liberado, mas fiquei sabendo que a corregedoria do orgão não quer liberar a minha contratação. Eu posso ser devolvida ao orgão que prestei o concurso e no caso voltar pera lista dos excedentes?

    Sei que na lei federal é possivel um candidato ser aproveitado em outro orgão se o cargo e o salário forem iguais ao do edital do concurso..

    Por favor estou ansiosa pra saber o q pode acontecer comigo.

  75. Valéria G. Bastos diz:

    Gostaria de relatar aos colegas que tomei posse na semana passada, foi tudo muito tranquilo, consegui uma escola muito perto da minha casa, mesmo bairro, na qual fui muito bem recebida. E, quero parabenizar a SEDUC pela agilidade e pela organização do processo de posse, tudo muito tranquilo. Quero agradecer tambem a recepção da minha coordenadoria, 18CRE, Rio Grande. Aos colegas que estao anciosos e assustados com relatos anteriores, tenham calma, pois o processo está muito tranquilo, pelo menos com meu grupo correndo tudo bem. Obrigada pelos esclarecimentos do blog. Bom trabalho, colegas.

  76. Mariana diz:

    Fui nomeada para uma escola e estou muito desapontada com a situação. Tem 2 contratados que não vão a escola e está ficando por isso mesmo. Um é na minha matéria e a escola quer que eu elabore em um dia uma prova para as turmas porque a contratada não fez nada e não está mais comparecendo. A direção da escola me trata como se estivesse fazendo um favor em me “aceitar”. Tenho ido a escola todos os dias da semana e exigem de manhã e a tarde, mas é só 20h. e estou fazendo 40, sem assinar nada. Tenho que substituir profs que faltam ou se atrasam e na CRE me disseram que eu não entraria em sala de aula. E também querem que eu faça as matrículas dos alunos em janeiro e a diretora ainda diz que eu não tenho direito a férias. Tudo bem que posso não ter direito a férias, mas isso não dá o direito a ela de me explorar com 40h. semanais e matrículas em janeiro. E também me falaram que terei que trabalhar em fevereiro e posso ficar sozinha na escola, tô achando isso muito estranho. Ninguém me passou nada sobre o conteúdo trabalhado pela prof anterior. Não estou aguentando!

    • BB diz:

      Entra em contato com a CRE… 40 horas vc nao pode fazer…… são 20 horas… aliás, pelo que sei…. 16 na escola e as outras 4 fora…… a nao ser q eu esteja muito enganada……. quanto ao resto…… tenho a mesma duvida pois entro no final do mes de dezembro e nao sei como será meu janeiro…….

  77. Ana Cristina diz:

    Pessoal, pelo amor de deus oque que tá acontecendo? fui tomar posse hoje e me deram uma lista com apenas 4 escolas disponíveis pra mim sendo que elas são MUITO LONGE dos meus outros empregos e da minha casa e els disseram que são só essas e que não vão tirar ninguém de contrato temporário e colocar nomeado! Uma moça me disse que tem vaga numa escola na esquina da minha casa, um contratado que entrou em 2011, mas ela não vai tirar e me colocar e me deu 4 escolas pra escolher sendo que é impossível pra mim! saí de lá chorando porque foi horrível a experiência, O QUE EU FAÇO SE NÃO QUISER ESSAS ESCOLAS POR SE R IMPOSSIVEL DE DAR AULA? TO PENSANDO EM PEDIR EXONERAÇÃO PORQUE É IMPOSSÍVEL MESMO! e eles não querem nem saber de nada. eu disse vários outros bairros que seria bom pra mim mas elas não querem fazer nada! o que que eu faço, pra quem eu reclamo? me ajudem pelo amor de deus!

  78. Ana Cristina diz:

    gente e vcs acreditam quee a moça que me atendeu diz que as escolas que me deram, essas 4 muito muito longe pra mim, são perto da minha casa e sabe como que ela vê isso? OLHANDO NO GOOGLE MAPS! Isso pode? gente, me ajudem pelo amor de deus. oq q eu faço?

  79. t diz:

    Gente fui nomeada no dia 17, acredito que esteja tudo certo, pois tanto a psicologa qto o médico disseram: – tudo certo, dispensada…..
    Bem tranquilo tirando a espera……. o atendimento q deveria iniciar as 7:30h iniciou as 9:00 por atraso de medicos e psicologos.
    estava entre os primeiros da fila e saí de lá era umas 11:30h….

  80. Adaiane A. da Silva Lima diz:

    Bom dia, prestei o último concurso e fui aprovada, mas minha nota no geral foi muito baixa, pois há pouco me formei no curso normal e não possuo títulos, na minha área (pelas minhas contas) irão ser lotadas todas as vagas. A dúvida é: se forem as vagas todas lotadas e eu não for chamada como procedo?
    Se em uma escola tem professores contratados e eu não tiver sido chamada posso pedir minha vaga, como procedo?
    Visto que o salário para o meu nível é muito baixo, posso pedir minha vaga na escola da minha cidade onde há professor contratado, como procedo?

  81. Larissa Santana Leote diz:

    Bom dia!
    Tenho uma dúvida que talvez possa me esclarecer fui chamada para um contrato emergencial no estado e me solicitaram um lista de exames nesses exames constava uma audiometria tonal com laudo que realizei e nesta audiometria descobri que tinha uma perca auditiva leve no ouvido esquerdo isto pode me impedir de assumir este contrato?
    A fono que realizou o exame me disse que não por ser só em um ouvido e ser leve mas estou com medo pois já estou até trabalhado na escola que não é nem no meu município e estou gastando um monte com locomoção.

    • Editor diz:

      Boa tarde, Larissa.
      Não tenho conhecimentos específicos sobre a temática. Sugiro encaminhar mensagem ao serviço de biometria da SEDUC-RS para esclarecimentos.

      Um abraço.

  82. Taise diz:

    Preciso de uma informação pois na minha cidade está acontecendo o seguinte caso: havia uma vaga para uma localidade que foi preenchida por uma das candidatas aprovadas no concurso dentro do número de vagas previsto no Edital. Só que ela não compareceu para tomar posse. Nesse caso foi chamada para tomar o seu lugar uma candidata que estava em posição posterior, fora do número de vagas. Até aí tudo bem se formos pensar que a adm. pública seguiu o critério de respeitar a lista de colocados, ocorre que essa candidata havia assinado anteriormente um termo de desistência. Como essa vaga não foi preenchida aqueles candidatos que já haviam sido chamados podem ser novamente consultados acerca dessa vaga?

O espaço de comentários do Blog do Prof. Omar Martins será moderado. Não serão aceitas mensagens: • que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal; • que contenham conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia; • que contenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas; • que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica; de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie; • que caracterizem prática de spam; • anônimas ou assinadas com e-mail falso; • fora do contexto da matéria; • exclusivamente em caixa alta; • com mais de dois mil caracteres.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s