Atualidades – Sustentabilidade: Brasil recicla apenas 1,4% do lixo que produz

A quantidade de lixo não para de crescer nas cidades, que seguem despreparadas para lidar com o problema. Foto: Flickr/Blog do Milton Jung/Creative Commons.

O Brasil recicla apenas 1,4% de todo o lixo doméstico que produz e destina 0,8% dos resíduos orgânicos para a compostagem. A informação é da Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública (ABLP). O conselheiro da ABLP, Eleusis Bruder di Creddo diz que os números não são satisfatórios, mas a falta de dados atualizados e precisos sobre o assunto no país é outro quadro preocupante. As informações mais recentes são da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico, de 2008, e revelam, que o Brasil produz, por dia, 110 mil toneladas de lixo.

O volume leva em conta apenas a produção residencial, o que se transforma em montanhas de lixo nos aterros. Conforme Creddo, 58% do material vai para aterros sanitários que atendem às condições necessárias de armazenamento, mas 40% de todo o resíduo das casas brasileiras ainda termina em lixões, áreas de depósito inadequadas para o meio ambiente.

Na Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Suécia e nos Países Baixos o cenário é diferente. De acordo com um relatório emitido pela Comissão Europeia em agosto, estes países “dispõem de sistemas globais de recolhimento e depõem em aterro menos de 5% dos seus resíduos”.

Além disso, números do Centro de Dados Ambientais sobre Resíduos da Comissão Europeia apontam para uma redução no volume de lixo doméstico produzido por pessoa na Alemanha. Em 2004, cada habitante daquele país gerava 258 quilos de lixo por ano. Quatro anos depois, a média caiu para 196 quilos.

“O Brasil tem números muito ruins na questão da reciclagem e compostagem, infelizmente”, avalia Creddo. Por hora, o único dado positivo no tratamento de resíduos do Brasil vem das latinhas de alumínio: 96% do metal desta fonte é reutilizado. Já os números da ABLP não são tão animadores quanto a outros materiais: 24% do aço, 68% do papel e apenas 10 a 15% do plástico voltam à cadeia produtiva.

Leia mais: 
O Gigante que transforma tudo

Patrocine um catador de lixo
Sustentabilidade, um olhar para fora

O conselheiro da Associação avalia que o problema reside na falta de um sistema de logística reversa, em que as indústrias sejam responsáveis pela compra do resíduo para compensar o que produzem com as embalagens. “Um sistema em que o material reciclado tem um valor comercial e é reinserido na cadeia produtiva”, explica Creddo.

A situação deve melhorar a partir de 2014, quando entra em vigor no Brasil a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), aprovada em 2010, atualmente em fase de regulamentação. Ao menos é nisso que aposta a presidente do Instituto GEA, Ana Maria Domingues da Luz. A ONG promove a difusão de informação quanto ao gerenciamento de resíduos sólidos e atribui o baixo desempenho do país quanto à reciclagem à falta de estruturas públicas.

A presidente da entidade também lamenta que toneladas de matéria-prima sigam diariamente para o lixo. “Vai ficar lá, em aterros, até que haja a escassez de matéria-prima e a tecnologia necessária para resgatar esse material”, observa Ana Luz.

A lei precisa “pegar”
A lei 12.305, que instituiu a PNRS, oferece vantagens financeiras aos municípios que implantarem sistemas de coleta seletiva “com a participação de cooperativas ou outras formas de associação de catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis, formadas por pessoas físicas de baixa renda”. E mais que isso: trata-se de um instrumento legal que obriga os moradores de todas as cidades que ofereçam o serviço a separar o lixo e a acondicioná-lo adequadamente para a coleta. “Falta a lei vigorar e ser uma lei que ‘pega’, porque no Brasil acontece de ter uma legislação que ninguém liga e ela passa a ser uma letra sem valor. Isso acontece, infelizmente”, lamenta Ana Luz.

Ações de curto prazo, na avaliação da ambientalista, dependem diretamente do cidadão. “A pessoa precisa se preocupar com isso, ela própria deve diminuir a produção de lixo mas, no momento em que gerou o resíduo, tem que descobrir uma forma de reciclar”, pondera.

Com informações da Carta Capital.

Anúncios

SEDUC-RS divulga a lista de classificação final do concurso público para professor do Quadro do Magistério Público Estadual

O Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), publicou no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira (27.9), a lista com os nomes dos 5,5 mil candidatos aprovados no Concurso do Magistério 2012. As nomeações estão previstas para iniciarem a partir de 15 de outubro.

Os candidatos receberão correspondência oficial referente aos procedimentos que serão adotados para efetuar a nomeação e a posse, como informações das datas, detalhes dos exames médicos e documentos necessários. Estas informações também serão publicadas em edital próprio e no site da Seduc.

A nomeação e posse serão feitas respeitando a ordem de classificação de cada candidato, em dia e data a serem definidos e informados por edital e pela correspondência oficial. Este procedimento ocorrerá em Porto Alegre, como forma de agilizar os processos, garantindo a implantação imediata na folha de pagamento do Magistério Público Estadual.

“Esta é a primeira etapa da reestruturação de nosso quadro de professores efetivos. Com isso, pretendemos eliminar gradativamente os contratos temporários, que trazem instabilidade aos educadores por não oferecer nenhuma garantia de continuidade”, avalia o secretário da Educação, Jose Clovis de Azevedo.

Consulte aqui o edital.
Lista dos aprovados.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO- SEDUC
EDITAL DE CONCURSOS PÚBLICOS N.° 23/2012
DIVULGA AS LISTAS DE CLASSIFICAÇÃO FINAL DO CONCURSO PÚBLICO, HOMOLOGA OS RESULTADOS PRESTA OUTROS ESCLARECIMENTOS.

O Secretário de Estado da Educação, no uso de suas atribuições, divulga a lista de classificação final do concurso público para professor do Quadro do Magistério Público Estadual, homologa os resultados e presta outros esclarecimentos.

1. LISTA DOS RESULTADOS E CLASSIFICAÇÃO FINAL
1.1. Os resultados com a classificação final encontram-se à disposição dos interessados nos sites: http://www.fdrh.rs.gov.br e http://www.educacao.rs.gov.br.

2. HOMOLOGAÇÃO DOS RESULTADOS
Consideram-se homologados os resultados divulgados na lista de classificação final conforme item 1.1 deste Edital.

3. DO CHAMAMENTO:
3.1. A nomeação ficará sob a responsabilidade da Secretária de Estado da Educação, por meio de Edital próprio, que definirá prazos e demais procedimentos a serem observados referente aos candidatos aprovados.
3.2. Os candidatos serão informados previamente por meio de Correspondência Oficial referente aos procedimentos que serão adotados por ocasião da sua nomeação e posse.
3.3. A nomeação e Posse se dará por grupos de Coordenadorias, respeitando a ordem de classificação de cada candidato, em dia e hora a serem informados previamente.
3.3.1. O procedimento ocorrerá em Porto Alegre como forma de agilizar os processos de admissão e posse, garantindo a implantação imediata na folha de pagamento do Magistério Público Estadual.
3.4. Os exames médicos admissionais serão agendados com dia e hora para o comparecimento ao DMEST – Departamento Médico Estadual, em Porto Alegre.
3.4.1. Os candidatos deverão apresentar no ato da consulta médica os seus exames realizados com seu médico, sendo que o resultado da Perícia Médica será publicado no Diário Oficial do Estado.
3.5. Será de responsabilidade do candidato, respeitar o cumprimento dos prazos e horários determinados a fim de garantir o seu ingresso na administração pública estadual.

Porto Alegre, 27 de setembro de 2012.

José Clóvis de Azevedo,
Secretário de Estado da Educação.

Veja abaixo os Editais e a Lista Final na íntegra:

Com informações da SEDUC-RS.

Lista de aprovados em concurso do magistério será divulgada nesta quinta-feira, 27.9

O Rio Grande do Sul receberá, até janeiro de 2013, um reforço de 5,5 mil professores aprovados no concurso do Magistério e que terão os nomes homologados nesta quinta-feira, 27.9, no Diário Oficial do Estado. A partir do dia 15 de outubro, o primeiro grupo de docentes — que tem nomeação prevista para o fim do próximo mês — receberá uma correspondência com a lista de documentos necessários para o prosseguimento do processo.

— Nossa ideia é nomear cerca de 1,1 mil professores por mês até janeiro de 2013. Assim que eles forem nomeados, já entram na folha de pagamento seguinte. A distribuição dos aprovados será por todo o Estado — explica o secretário estadual da Educação, José Clóvis de Azevedo.

O concurso teve um total de 69 mil inscritos para 10 mil vagas. Na lista divulgada em maio pela secretaria da Educação, 5,2 mil foram aprovados. O número aumentou após a homologação de recursos dos candidatos. Para conferir a lista com os nomes e a classificação dos professores, acesse o site www.educacao.rs.gov.br, a partir das 10h de quinta-feira.

Com informações da ZH.

Novo Parque Eólico na Bahia beneficiará 350 mil habitantes

O Brasil ganhou um novo parque com fonte de energia sustentável. Inaugurado nesta semana, o parque eólico localizado em Brotas de Macaúbas, na Bahia, faz parte da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento, PAC 2.

Parque-Eólico-Bahia

De acordo com a secretaria-executiva do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Eva Chiavon, convidada para inauguração do parque, a instalação do novo complexo é extremamente positiva e beneficiará não só o estado da Bahia mas o país como um todo. “Além de proporcionar uma energia limpa, o parque eólico ampliará a capacidade de geração de energia do Brasil”. Ela também ressalta que a instalação do parque trará desenvolvimento para a região. “Com a instalação do parque, os moradores se organizaram em cooperativa para a geração de trabalho e renda para comunidade”.

O novo complexo já opera com a capacidade de até 95 megawatts, energia suficiente para abastecer uma cidade com até 350 mil habitantes. O parque tem 57 aerogeradores que possuem três hélices e 80 metros de altura. Mais de 600 operários foram contratados na construção que teve um investimento no total de 152 milhões e duzentos mil reais investidos pela empresa Desinvix.

Para o superintendente de Energia e Comunicações da secretaria de Infraestrutura da Bahia, Silvano Ragno, a obra impulsionará a economia local. “Os ventos estão mudando a economia no sertão da Bahia. Onde tinha desemprego, muita miséria, atualmente, tem muito trabalho” afirmou Ragno.

Em julho deste ano, o governo inaugurou, em Caetité, sudoeste da Bahia, o Complexo Eólico Alto Sertão, que também teve investimentos do PAC. O complexo é considerado o maior da América Latina, consolidando a Bahia como o maior polo em energia renovável do Brasil.

Com informações do Ministério do Planejamento.

 

Edgar Morin e o pensamento complexo – IHU – Unisinos | 402 – ano XII Set2012

Leia a íntegra da edição em: http://www.ihuonline.unisinos.br/impressa/pdf/revista.pdf

Quem é Edgar Morin? Saiba mais sobre sobre o filósofo da complexidade.

Edgar Morin nasceu em Paris, no dia 8 de julho de 1921. É um antropólogo, sociólogo e filósofo francês, judeu de origem sefardita. Pesquisador emérito do Centre National de la Recherche Scientifique. Formado em Direito, História e Geografia, realizou estudos em filosofia, sociologia e epistemologia. É autor de mais de trinta livros, entre eles: O método (6 volumes), Introdução ao pensamento complexo, Ciência com consciência e Os sete saberes necessários para a educação do futuro. Durante a Segunda Guerra Mundial, participou da Resistência Francesa. É considerado um dos principais pensadores contemporâneos e um dos principais teóricos da complexidade. Filho único, seu pai, Vidal Nahoum, era um comerciante originário de Salônica. Sua mãe, Luna Beressi, faleceu quando ele tinha 10 anos. Ateu declarado, descreve-se como um neomarrano.

A principal obra de Edgar Morin é a constituída por seis volumes, “La méthode” (em português, O Método). Foi escrita durante três décadas e meia. Trata-se de uma das maiores obras de epistemologia disponível. Morin inicia os primeiros escritos de da obra em 1973, com a publicação do livro O paradigma perdido: a natureza humana, uma transformação epistemológica por questionar o fechamento ideológico e paradigmático das ciências, além de apresentar uma alternativa à concepção de paradigma encontrada em Thomas Kuhn. Seu primeiro livro traduzido para o português é O cinema ou o homem imaginário, em 1958.

Morin afirma que diante dos problemas complexos que as sociedades contemporâneas hoje enfrentam, apenas estudos de caráter inter e politransdisciplinar poderiam resultar em análises satisfatórias de tais complexidades. “Afinal – escreve –, de que serviriam todos os saberes parciais senão para formar uma configuração que responda a nossas expectativas, nossos desejos, nossas interrogações cognitivas?”

Disponível em: http://migre.me/aBgaN.

O Método – Edgar Morin

Método 1 – A Natureza da Natureza (Europa América: Portugal 1987. Porto Alegre: Sulina, 2003)
O Método 2 – A vida da vida (Europa América, 1999. Sulina, 2001)
O Método 3 – O Conhecimento do Conhecimento (Europa América, 1996. Sulina, 2002)
O Método 4 – As ideias: habitat, vida, costumes, organização (Sulina, 2002. Europa América, 2002)
O Método 5 – a humanidade da humanidade: a identidade humana (Sulina, 2003. Europa América, 2003)
O Método VI – A Ética (Europa América, 2005. Sulina, 2005)

Com informações do Instituto de Humanidades – IHU da UNISINOS.

SEDUC-RS divulga novas informações acerca do concurso do Magistério Estadual 2011/2012

Foi publicada nota ontem, dia 18.9.2012, no jornal Zero Hora (pág. 12), informações sobre a publicação da classificação final do concurso do Magistério Estadual. Veja a nota e sua transcrição:

SEC chama aprovados
A lista com a classificação final dos professores aprovados no concurso do magistério está na Secretaria da Educação há pelo menos 10 dias e deve ser divulgada na próxima semana.

A secretária adjunta, Maria Eulália do Nascimento, explica que depende apenas de procedimentos da Secretaria da Administração. Os professores serão chamados por ordem de classificação para fazer exames admissionais, com hora marcada. Todos os 5 mil aprovados serão nomeados até o final do ano.

A SEC tem pronto o edital para selecionar mais 10 mil professores. Também está em fase de preparação outro concurso para funcionários de escola, com novas funções: técnico  em informática, assistente financeiro e técnico em nutrição.

Riqueza mundial: Segundo a ONU 20% da população mundial concentram em suas mãos 82% dos recursos

Frei Betto*

Você conhece a casquinha abiscoitada de sorvete: a bola é colocada acima e, enquanto derrete, um pouco do sorvete se espalha pela parte inferior. Ao comer a casca, a ponta inferior do cone costuma estar seca, sem sorvete.

Assim é a distribuição da riqueza no mundo, segundo a ONU: 20% da população mundial, o equivalente a 1,320 bilhão de pessoas, concentram em suas mãos 82% da riqueza mundial. Fartam-se com a bola de sorvete. Na ponta estreita do cone, os mais pobres – 1 bilhão de pessoas – sobrevivem com apenas 1,4% da riqueza mundial.

Mede-se o indicador de riqueza de uma economia pelo PIB – o Produto Interno Bruto. Quanto maior o PIB, maior o crescimento de um país. Tanto que o governo Lula lançou o PAC – Programa de Aceleração do Crescimento. Deveria ter lançado o PADS – Programa de Aceleração do Desenvolvimento Sustentável.

Um país cresce quando sua economia total ganha mais cifrões. O que não significa que se desenvolveu, ou seja, imprimiu mais qualidade de vida e felicidade à sua população. Crescimento tem a ver com produção agropecuária, industrial, e expansão da rede de serviços. Desenvolvimento significa escolaridade, saúde, saneamento, moradia, cultura e preservação do meio ambiente.

O economista Ladislau Dowbor, da PUC-SP, tem um bom exemplo para mostrar a diferença: a Pastoral da Criança favorece, com a sua rede de 450 mil voluntários, milhares de crianças até 6 anos de idade. Assim, contribui com a redução de 50% dos índices de mortalidade infantil e 80% das hospitalizações. Se menos crianças adoecem, menos medicamentos são comprados, menos serviços hospitalares são utilizados, e as famílias vivem mais felizes.

Ótimo, não? Não para o governo e os economistas com mania de PIB. “O resultado, do ponto de vista das contas econômicas, é completamente diferente: ao cair o consumo de medicamentos, o uso de ambulâncias, de hospitais e de horas trabalhadas por médicos, reduz-se também o PIB”, afirma Dowbor. Ao obter saúde com um gasto de apenas R$ 1,70 por criança/mês, a Pastoral da Criança faz cair o PIB. Porém, sobe a felicidade geral da nação.

Comemorar o crescimento do PIB não significa o país estar na direção certa. Vide a China, cujo PIB é o que mais cresce no mundo. Nem por isso a qualidade de vida de sua população nos causa inveja. Se o desmatamento da Amazônia – careca, hoje, em 17% de sua área total – aumenta, mais se introduzem ali o agronegócio e imensos rebanhos. O que fará crescer o PIB. E reduzir o equilíbrio ambiental e a nossa qualidade de vida.

O problema número 1 do mundo não é econômico, é ético. Perdemos a visão de bem comum, de povo, de nação, de civilização. O capitalismo infundiu-nos a perversa noção de que acúmulo de riqueza é direito e consumo de supérfluo, necessidade.

Compare estes dados: segundo a ONU, para propiciar educação básica a todas as crianças do mundo seria preciso investir, hoje, US$ 6 bilhões. Apenas nos EUA são gastos por ano, em cosméticos, US$ 8 bilhões. Água e saneamento básico seriam garantidos a toda a população mundial com um investimento de US$ 9 bilhões.

O consumo/ano de sorvetes na Europa representa o desembolso de US$ 11 bilhões. Haveria saúde básica e boa nutrição às crianças dos países em desenvolvimento se fossem investidos US$ 13 bilhões. Ora, US$ 17 bilhões é o que se gasta por ano, na Europa e nos EUA, em alimentos para cães e gatos; US$ 50 bilhões em cigarros na Europa; US$ 105 bilhões em bebidas alcoólicas na Europa; US$ 400 bilhões em narcóticos no mundo; e US$ 780 bilhões em armas e equipamentos bélicos no mundo.

O mundo e a crise que o afeta têm sim solução. Desde que os países sejam governados por políticos centrados em outros paradigmas que fujam do cassino global da acumulação privada e da irrefreável espiral do lucro. Paradigmas altruístas, centrados na distribuição de renda, na preservação ambiental e na partilha dos bens da Terra e dos frutos do trabalho humano.

Preste muita atenção nos candidatos que, este ano, merecerão o seu voto a vereador e a prefeito. Investigue o passado deles para saber com quem, de fato, estão comprometidos.

Ah, você não gosta de política? Não seja ingênuo: quem não gosta de política é governado por quem gosta. E tudo que os políticos corruptos querem é que sua omissão assegure a perpetuação deles no poder.

* Frei Betto é escritor, autor de “Calendário do poder” (Rocco), entre outros livros.
http://www.freibetto.org | Twitter:@freibetto.