Pierre Lévy prevê renovação tecnológica na sala de aula

O filósofo Pierre Lévy.

As mudanças tecnológicas tão aceleradas do mundo moderno vão chegar de vez à sala de aula e é bem possível que computadores, tablets e outras plataformas substituam o livro didático e o caderno. A previsão é do sociólogo e professor da Universidade de Ottawa (Canadá), especialista em internet. Ele participou do 5º Congresso Internacional da Rede Católica de Educação, em Brasília.

“É difícil dizer o que será a civilização no futuro. Aquilo que vamos construir não é imaginável agora. Nos estamos em um momento de grande transformação cultural”, avalia o especialista. Ele não descarta, no entanto, que as crianças continuem aprendendo habilidades básicas do mundo pré-digital, como a escrita à mão. “A priori, eu diria que é importante ensinar a escrever a mão. É importante manter isso assim como fazer o cálculo mental, apesar de todo mundo ter calculadora”, defende.

Para Lévy, mudarão os materiais pedagógicos e mudarão as competências dos estudantes.

“Os alunos do futuro serão pessoas criativas, abertas e colaborativas. Ao mesmo tempo, serão capazes de se concentrar com uma mente disciplinada. É necessário equilibrar os dois aspectos: a imensidão das informações disponíveis, colaborações e contatos; com [a capacidade de] planejamento, realização de projetos, disciplina mental e concentração”.

O sociólogo defende o uso das redes sociais para ensino e aprendizagem. Ele mesmo obriga os seus alunos a criarem grupos no Facebook, postarem textos ou vídeos e participarem de grupos de discussão.

“O Facebook é apenas uma das mídias sociais em um contexto de participação. Não são as novas mídias que terão impacto negativo. São as pessoas que postam coisas negativas. É como se perguntar qual o impacto negativo da linguagem porque tem muita mentira. Não é a linguagem que tem impacto negativo, são os mentirosos!”, comparou.

Pierre Lévy acredita que a nova cultura baseada na informática e a economia do conhecimento impliquem novas formas de sociabilidade: ambientes mais colaborativos, em rede e autoorganizados formando uma memória coletiva. Essas transformações exigirão habilidades que precisam ser ensinadas como a capacidade dos alunos em avaliar as fontes de informação, identificar orientações, ter atitude crítica quanto aos conteúdos.

Ao ser indagado se o país, com baixo índice de aprendizagem generalizado e ainda com número elevado de adultos analfabetos, conseguirá formar seus estudantes com essas capacidades Pierre Lévy foi otimista:

“Eu fico sempre surpreso ao ver até que ponto os brasileiros têm uma ideia negativa do seu próprio país. Primeiramente, vocês estão se transformando na quinta potência econômica do mundo, com uma taxa de crescimento muito elevada. Sim, tem analfabetismo, mas, apesar disso, há um esforço muito importante focado na educação, e o que eu vejo sempre que venho para cá é um monte de pessoas dedicadas para trabalhar na educação.”

Para o sociólogo, o Brasil está ciente de que o futuro do país está no investimento na educação.

“Não fiquem desesperados e continuem com esse entusiasmo extraordinário”, completou. Lévy reconhece que os problemas existem, mas ressalta que eles têm que ser resolvidas com “as ferramentas de hoje e com a visão do futuro”.

Com informações de Agência Brasil.

Anúncios

IBGE divulga as estimativas populacionais dos municípios em 2012

Brasil: já somos quase 194 milhões.

O IBGE divulga hoje, 31 de agosto de 2012, as estimativas das populações residentes nos 5.565 municípios brasileiros com data de referência em 1º de julho de 2012. Estima-se que o Brasil tenha 193.946.886 habitantes, 3.191.087 a mais do que em 2010, quando a população chegou a 190.755.799. São Paulo continua sendo a cidade mais populosa, com 11,37 milhões de habitantes, seguida por Rio de Janeiro (6,39 milhões), Salvador (2,71 milhões), Brasília (2,64 milhões) e Fortaleza (2,50 milhões). Em relação a 2010, não houve mudança na lista dos 15 municípios mais populosos. Juntos, esses municípios somam 40,75 milhões de habitantes, representando 21,02% da população.

As estimativas populacionais são fundamentais para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos nos períodos intercensitários e são, também, um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União na distribuição do Fundo de Participação de Estados e Municípios. Esta divulgação anual obedece à lei complementar nº 59, de 22 de dezembro de 1988, e ao artigo 102 da Lei n.º 8.443, de 16 de julho de 1992.

A tabela com a população estimada para cada município foi publicada no Diário Oficial da União (D.O.U.) de hoje, 31 de agosto de 2012. Está previsto, no artigo 102 da lei nº 8.443, acima citado, que, até 20 dias após a publicação das estimativas, os interessados poderão apresentar reclamações fundamentadas ao IBGE, que decidirá conclusivamente. Em seguida, até 31 de outubro, o IBGE encaminhará as estimativas definitivas ao Tribunal de Contas da União.

Os resultados das Estimativas de População 2012, publicados no D.O.U, também podem ser acessados na página
www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/estimativa2012.

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas – DPE, Coordenação de População e Indicadores Sociais – Copis

Excluindo-se as capitais, os municípios mais populosos são Guarulhos (1,24 milhão), Campinas (1,09 milhão), São Gonçalo (1,01 milhão), Duque de Caxias (867,06 mil), Nova Iguaçu (801,74 mil) e São Bernardo do Campo (774,88 mil). Com exceção das capitais, os 15 municípios mais populosos somam 11,47 milhões de habitantes, representando 5,92% do total da população do Brasil em 2012.

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas – DPE, Coordenação de População e Indicadores Sociais – Copis

Borá (807 habitantes), em São Paulo, e Serra da Saudade (807 habitantes), em Minas Gerais, empatados na primeira colocação dentre os 15 municípios menos populosos em 2012, são os dois únicos municípios que possuem menos de mil habitantes. Os 15 municípios menos populosos do Brasil somam 17.621 habitantes, representando aproximadamente 0,01% da população do país.

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas – DPE, Coordenação de População e Indicadores Sociais – Copis

São Paulo destaca-se como a Unidade da Federação mais populosa, com 41,90 milhões de habitantes (21,60% da população brasileira), seguida por Minas Gerais, com 19,85 milhões (10,23%), e Rio de Janeiro, com 16,23 milhões (8,36%). O estado de Roraima é o menos populoso, com 469,52 mil habitantes (0,24%), seguido do Amapá, com 698,60 mil (0,36%), e Acre, com 758,78 mil (0,39%).

Os municípios que protagonizaram, em conjunto, os mais expressivos crescimentos no período 2000-2012 foram aqueles com população entre 100 mil e 500 mil habitantes, revelando que o dinamismo populacional do Brasil continua seguindo novas rotas, particularmente rumo ao interior. Já o grupo de municípios com população abaixo desta faixa tiveram baixas taxas de crescimento no período, muitos deles com taxas de crescimento negativas ou próximas de zero.

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas – DPE, Coordenação de População e Indicadores Sociais – Copis

Obs1: A taxa média de crescimento geométrico para os municípios de 10.001 até 20.000 habitantes é igual a 0,000043%. A mesma não pode ser diretamente observada no gráfico por questão de arredondamento da taxa com três casas decimais.

Obs2: Os 5.565 municípios existentes em 2010 foram estatisticamente reconstituídos para 2000, quando existiam originalmente 5.507 municípios instalados.

A região metropolitana (RM) de São Paulo mantém-se como a mais populosa, com 19,95 milhões de habitantes, seguida da RM do Rio de Janeiro (11,84 milhões), da RM de Belo Horizonte (5,50 milhões), da RM de Porto Alegre (3,99 milhões) e da Região Integrada de Desenvolvimento Econômico (RIDE) e entorno do Distrito Federal (3,83 milhões). As 15 regiões metropolitanas mais populosas somam 72,26 milhões de habitantes em 2012 (37,26 % da população total).

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas – DPE, Coordenação de População e Indicadores Sociais – Copis

Metodologia utilizada pelo IBGE

Como os resultados do Censo Demográfico 2010 estão sendo trabalhados, comparados e analisados com os parâmetros oriundos dos Censos Demográficos anteriores, não se viabilizou a atualização da Projeção da População do Brasil – Revisão 2008. Assim, a população do Brasil foi estimada pelo Método das Componentes Demográficas a partir da população base, por sexo e grupos de idade, do Censo Demográfico de 2000, considerando as tábuas de mortalidade de 2000 e incorporando o padrão da fecundidade oriundo dos resultados preliminares do Censo Demográfico 2010. Para as estimativas da população dos municípios, foi utilizado o Método de Tendência de Crescimento, tomando-se como base as populações municipais observadas em 2000 e 2010. Para as Unidades da Federação, as populações foram estimadas pela soma das populações de seus municípios componentes.

O Sistema de Projeções da População do Brasil, atualizado com as informações do Censo Demográfico 2010, das pesquisas por amostragem mais recentes, bem como dos registros administrativos referentes ao ano de 2010, tem sua conclusão prevista para 2013, a tempo de serem utilizadas na estimativa das populações municipais com data de referência em 1º de julho de 2013.

A metodologia pode ser consultada em sua íntegra no link:
ftp://ftp.ibge.gov.br/Estimativas_Projecoes_Populacao/Estimativas_2012/metodologia_2012.pdf.

Com informações do IBGE | 31.08.2012

Governo federal vai criar 63 mil vagas para cargos públicos em 2013

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

O governo federal prevê a criação de 63 mil vagas para cargos públicos em 2013. Os novos postos de trabalho estão previstos no Projeito de Lei Orçamentária Anual (Ploa), que foi enviado ontem ao Congresso Nacional.

Segundo o Ministério do Planejamento, deste total, a previsão é que 61.682 vagas sejam preenchidas já no ano que vem. As vagas devem ser preenchidas por concurso público. No entanto, as contratações devem obedecer às necessidades de contratação dos diversos órgãos e entidades públicas.

Das vagas previstas, 53 mil serão para preencher cargos no Executivo. A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, informou que cerca de 21 mil novas vagas serão para a área da Educação. “São cargos fundamentais para expansão da rede de universidades e alcançar a meta de institutos técnicos no país”, disse.

Os novos concursados vão onerar em R$ 3 bilhões os gastos do governo com folha de pagamento em 2013. A despesa será adicionada aos R$ 11,3 bilhões concedidos de reajuste salarial a cerca de 1,7 milhões de servidores, ativos e inativos, do Executivo. Os três poderes totalizam cerca de 1,9 milhões de servidores. A remuneração está atualmente em R$ 198,9 bilhões ao ano.

Com informações da Agência Brasil.
Blog Garra Concursos | http://garraconcursos.wordpress.com

Governo federal vai criar 63 mil vagas para cargos públicos em 2013.

Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente

ATENÇÃO COLEGAS PROFESSORES!

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou hoje (21.08.2012) que a primeira edição da Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente será em 2013, provavelmente no mês de setembro. A intenção do Governo Federal é aplicar uma prova única para selecionar professores para as redes de ensino de todo o país.

A partir dos resultados, os municípios e estados que aderirem ao exame poderão selecionar os profissionais a partir do banco de classificados que será criado com os resultados, sem a necessidade de organizar seus próprios concursos.

A ideia surgiu ainda em 2010. A primeira edição será voltada à seleção de professores para atuar nos primeiros anos do ensino fundamental. De acordo com o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Luiz Cláudio Costa, o pré-teste do exame já foi feito e o banco de itens que comporão a prova está pronto.

“Uma governadora de um estado do Nordeste me disse que fez um concurso para selecionar 3,5 mil professores, mas, em algumas disciplinas, como física e matemática, nenhum foi selecionado. Nós vamos tentar ajudar esse quadro em rede nacional, com a prova de ingresso na carreira”, disse o ministro.

O Ministério da Educação estima que os resultados serão aproveitados principalmente por municípios menores, que têm dificuldades técnicas e financeiras de realizar concursos públicos.

A matriz dos conteúdos foi publicada para consulta pública em março de 2011. De acordo com o documento, a prova vai avaliar o profissional a partir de três dimensões: profissão docente e cidadania, trabalho pedagógico e domínio dos conteúdos curriculares. Serão exigidos conhecimentos em temas como políticas educacionais, gestão do trabalho pedagógico, além do domínio dos conteúdos como língua portuguesa, matemática, história e artes.

A Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente é uma iniciativa do Inep no âmbito das políticas do Ministério da Educação no sentido da valorização dos profissionais do magistério no país.

A Prova Nacional de Concurso tem o objetivo principal de subsidiar os Estados, o Distrito Federal e os Municípios na realização de concursos públicos para a contratação de docentes para a educação básica. Trata-se de uma prova anual, a ser aplicada de forma descentralizada em todo o país para os candidatos ao ingresso na carreira docente das redes de educação básica. Cada ente federativo poderá decidir pela adesão e pela forma de utilização dos resultados: se como única prova, seguida da análise de títulos, ou como primeira prova, seguida de uma prova adicional do próprio município, por exemplo.

A ideia é a seguinte: as redes que fizerem adesão junto ao Inep publicarão seus editais de concurso público, indicando a forma de utilização dos resultados da Prova. Os candidatos poderão se inscrever em todos os concursos que lhes interessar e, após a participação na Prova, o Inep encaminhará às redes os resultados dos inscritos em seus respectivos concursos.

Todos ganham com essa iniciativa. Para as redes de educação básica, a Prova permitirá a redução de custos desses entes com a elaboração e a aplicação das provas, bem como permitirá maior agilidade no preenchimento de cargos vagos de docentes. Isto porque, devido ao peso dos custos da realização de um concurso para orçamento de uma secretaria, especialmente no caso dos municípios menores, muitas vezes fica-se amplos períodos sem a realização de concursos públicos, optando por acumular um número significativo de cargos vagos para que valha a pena realizar um concurso. Nesse meio tempo, o trabalho acaba sendo desenvolvido por professores temporários – geralmente um contingente maior do que seria o ideal apenas para cobrir necessidades temporárias.

Para os candidatos a professor, a existência de uma Prova que será aplicada em todo o país e poderá ser utilizada por diversos estados e municípios, aumenta significativamente a possibilidade de escolha do local de trabalho, bem como a possibilidade de se tornar um professor efetivo de uma rede de ensino. Com a mesma prova, o professor poderá se inscrever em quantos concursos desejar – dentre aqueles que adotarem a Prova como parte do concurso.

Mais do que disso, trata-se de uma Prova com qualidade garantida pelo Inep/MEC, baseada em uma matriz que está sendo nacionalmente discutida e que tem como ponto de partida a pesquisa e a reflexão sobre o perfil desejado para um ingressante na carreira docente no Brasil.

Desse modo, ao melhorar os processos de contratação de professores em termos quantitativos e qualitativos, a Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente pretende contribuir para que os alunos da educação básica ganhem professores cada vez melhor qualificados e com melhores condições de exercer com excelência sua profissão.

Outras informações complementares, acesse http://portal.inep.gov.br/prova-docente .

Com informações do INEP e Agência Brasil.

Magistério-RS 2012: SEDUC divulga resultado da Prova de Títulos

Magistério-RS 2012: SEDUC divulga resultado da Prova de Títulos
via http://garraconcursos.wordpress.com

SEDUC-RS 2011/2012

Foi publicado na manhã desta sexta-feira, dia 17.08.2012, no Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul, na pág. 33, o Edital n.º 20/2012 que divulga o resultado das avaliações da Prova de Títulos e presta outros esclarecimentos.  Veja abaixo o Edital n.º 20/2012 – SEDUC-RS e os resultados por CREs.

• Edital Nº 20/2012 – Divulga o Resultado da Prova de Títulos

•  Prova de Títulos – CRE 01
•  Prova de Títulos – CRE 02
•  Prova de Títulos – CRE 03
•  Prova de Títulos – CRE 04
•  Prova de Títulos – CRE 05
•  Prova de Títulos – CRE 06
•  Prova de Títulos – CRE 07
•  Prova de Títulos – CRE 08
•  Prova de Títulos – CRE 09
•  Prova de Títulos – CRE 10
•  Prova de Títulos – CRE 11
•  Prova de Títulos – CRE 12
•  Prova de Títulos – CRE 13
•  Prova de Títulos – CRE 14
•  Prova de Títulos – CRE 15
•  Prova de Títulos – CRE 16
•  Prova de Títulos – CRE 17
•  Prova de Títulos – CRE 18
•  Prova de Títulos – CRE 19
•  Prova de Títulos – CRE 20
•  Prova de Títulos – CRE 21
•  Prova de Títulos – CRE 23
•  Prova de Títulos – CRE 24
•  Prova de Títulos – CRE 25
•  Prova de Títulos – CRE 27
•  Prova de Títulos – CRE 28
•  Prova de Títulos – CRE 32
•  Prova de Títulos – CRE 35
•  Prova de Títulos – CRE 36
•  Prova de Títulos – CRE 39

 

Veja o extrato do Edital publicado no DOE-RS:

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO- SEDUC 
EDITAL DE CONCURSOS PÚBLICOS N° 20/2012 
DIVULGA O RESULTADO DAS AVALIAÇÕES DA PROVA DE TÍTULOS E PRESTA OUTROS ESCLARECIMENTOS.

O Secretário de Estado da Educação, no uso de suas atribuições, divulga por este Edital o resultado das avaliações da Prova de Títulos e presta outros esclarecimentos.

1. LISTA DOS RESULTADOS DA PROVA DE TÍTULOS
1.1. Está sendo divulgada, a lista dos resultados obtidos pelos candidatos na prova de títulos.
Essa lista de resultados encontra-se à disposição dos interessados nos sites: http://www.fdrh.rs.gov.br e http://www.educacao.rs.gov.br.

2. Títulos não avaliados por terem sido entregues fora do prazo

2.1. Conforme o estabelecido no item 9.5 do Edital 01/2012 e do item 1.1 do Edital 17/2012 os documentos comprobatórios para a Prova de Títulos entregues fora do prazo não foram avaliados.
2.2. Foram considerados intempestivos os documentos encaminhados pelos candidatos que receberam o seguinte número de inscrição: 601, 2593, 2768, 3659, 4364, 10144, 12354, 17876, 22935, 26125, 37734, 42290, 43147, 44447, 49511, 50622, 51103, 56240, 61743, 64816, 82649.

3. INTERPOSIÇÃO DE RECURSOS

3.1. Os candidatos interessados poderão interpor recurso, referente aos resultados obtidos na Prova de Títulos, conforme o previsto no item 9.2, do Edital de Concursos N.º 01/2012.
3.2. Informações sobre a avaliação dos títulos, bem como vistas aos documentos encaminhados pelos candidatos e resultados poderão ser obtidas na Divisão de Concursos Públicos da FDRH, das 9h às 11h30min e das 14h às 17h no mesmo prazo de entrega dos recursos.
3.3. Requerimento para Recurso: para a interposição de recurso, o candidato deverá preencher o Requerimento para Recurso (Anexo 1 deste Edital).
3.4. Prazo para interpor recurso e forma de encaminhamento 3.4.1. Prazo para entregar o recurso: 20 a 24 de agosto de 2012.
3.4.2. Formas de encaminhar o recurso referente à Prova de Títulos (requerimento e justificativas):
a) O candidato poderá interpor pedido de revisão dirigido ao Secretário de Estado da Educação e entregue diretamente no Protocolo da FDRH, na Av. Praia de Belas, 1.595, em Porto Alegre/RS, das 9h às 11h30min e das 14h às 17h, no prazo acima, ou
b) enviar, somente por SEDEX, para o seguinte endereço, também no prazo acima:

IDENTIFICAÇÃO NO ENVELOPE
– Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos – FDRH
– Divisão de Concursos Públicos – DCP
– RECURSOS – Resultado da Prova de Títulos dos Concursos da SEDUC
– Av. Praia de Belas 1.595
– Porto Alegre –RS – CEP 90.110-001
3.5. O pedido de recurso deverá conter:
a) nome completo e número de inscrição do candidato;
b) indicação do cargo e habilitação;
c) exposição detalhada dos motivos a respeito da matéria contestada, em face das normas do concurso;
d) objeto do pedido de revisão, claramente especificado, e, se for o caso, com o total dos pontos solicitados.

4. OUTRAS INFORMAÇÕES:
4.1. Não serão considerados os recursos protocolados fora do prazo. Quando enviados via SEDEX, será considerada para a computação do prazo a data de postagem do recurso no Correio, que deverá ser igual à do prazo estabelecido para os recursos.
4.2. O recurso poderá ser entregue por outra pessoa, mas o Requerimento do Recurso deverá conter a assinatura do candidato.
4.3. Não serão aceitos recursos por e-mail ou outros serviços de postagem, a não ser aquele previsto no subitem 3.4.2, item b deste Edital (SEDEX).
4.4. O resultado dos recursos será divulgado através de Edital, o qual será publicado conforme prevê o item 2 do Edital de Concursos Públicos N.º 01/2012.
4.5. De acordo com o previsto no Edital de abertura das inscrições, não podem ser encaminhados documentos novos para a prova de títulos. Na fase dos recursos, poderão ser encaminhados somente documentos que sirvam para esclarecer ou complementar dados de documentos apresentados ou encaminhados no período determinado para a entrega dos títulos.

Porto Alegre, 17 de agosto de 2012.
José Clóvis de Azevedo,
Secretário de Estado da Educação.

Com informações do DOE-RS.

MEC vai propor alteração curricular no ensino médio

O Ministério da Educação prepara um novo currículo do ensino médio em que as atuais 13 disciplinas sejam distribuídas em apenas quatro áreas (ciências humanas, ciências da natureza, linguagem e matemática).

A mudança prevê que alunos de escolas públicas e privadas passem a ter, em vez de aulas específicas de biologia, física e química, atividades que integrem estes conteúdos (em ciências da natureza).

A proposta deve ser fechada ainda neste ano e encaminhada para discussão no Conselho Nacional de Educação, segundo o jornal Folha de São Paulo. Se aprovada, vai se tornar diretriz para todo o país.

Para o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, os alunos passarão a receber os conteúdos de forma mais integrada, o que facilita a compreensão do que é ensinado.

“O aluno não vai ter mais a dispersão de disciplinas”, afirmou Mercadante ontem, em entrevista à Folha.

Outra vantagem, diz, é que os professores poderão se fixar em uma escola.

Um docente de física, em vez de ensinar a disciplina em três colégios, por exemplo, fará parte do grupo de ciências da natureza em uma única escola.

Ainda não está definida, porém, como será a distribuição dos docentes nas áreas.

A mudança curricular é uma resposta da pasta à baixa qualidade do ensino médio, especialmente o da rede pública, que concentra 88% das matrículas do país.

Dados do ministério mostram que, em geral, alunos das públicas estão mais de três anos defasados em relação aos das particulares.

Educadores ouvidos pela reportagem afirmaram que a proposta do governo é interessante, mas a implementação é difícil, uma vez que os professores foram formados nas disciplinas específicas.

O secretário da Educação Básica do ministério, Cesar Callegari, diz que os dados do ensino médio forçam a aceleração nas mudanças, mas afirma que o processo será negociado com os Estados, responsáveis pelas escolas.

Já a formação docente, afirma, será articulada com universidades e Capes (órgão da União responsável pela área).

Uma mudança mais imediata deverá ocorrer no material didático. Na compra que deve começar neste ano, a pasta procurará também livros que trabalhem as quatro áreas do conhecimento.

Organização semelhante foi sugerida em 2009, quando o governo anunciou que mandaria verbas a escolas que alterassem seus currículos. O projeto, porém, era de caráter experimental.

Com informações do jornal Folha de São Paulo.

Planejamento autoriza concurso para o DPRF

VAGAS: 821 vagas.

ESCOLARIDADE: Nível Superior/Nível Médio
CARGO: Policial Rodoviário Federal, Agente Administrativo e Técnico de Assuntos Educacional.

REMUNERAÇÃO:
– Policial Rodoviário R$ 6.108,95
– Agente Administrativo R$ 3.203,97
– Técnico de Assuntos Educacional R$ 3.835,32.

Nesta sexta-feira, dia 10 de agosto de 2012, o Ministério do Planejamento autorizou o provimento e a realização de concursos para o Departamento de Polícia Rodoviária Federal. No total, são 821 vagas, sendo 750 para Policial Rodoviário Federal – provimento (nível superior) e 71 para a área de apoio, das quais 67 para Agente Administrativo (nível médio), 3 para Técnico de Assuntos Educacionais (nível superior) e uma para Técnico de Nível Superior.

A Portaria n.º 339, que trata da autorização do concurso para Policial Rodoviário Federal, não especifica um limite para a divulgação do edital de provimento. No entanto, a Portaria n.º 338, que se refere à área de apoio, estabelece que o documento poderá ser divulgado em até seis meses, ou seja 10 de fevereiro.

Policial Rodoviário Federal 
O cargo de policial rodoviário federal exige, além do nível superior em qualquer área, carteira nacional de habilitação da categoria B em diante. A remuneração inicial, já com auxílio-alimentação de R$ 304, é de R$ 6.108,95. A PRF havia informado no início deste mês que há previsão de contratação ainda este ano da organizadora do novo concurso. O DPRF aguarda autorização para novo concurso para o cargo (foi solicitada a autorização para 1.500 novas vagas). A distribuição pelos estados ainda não foi informada.

Anteriormente, a divisão de concursos do órgão já havia informado que o edital pode sair ainda este ano, porém o ingresso dos novos policiais está previsto para 2013. É esperada ainda a permissão para a convocação dos excedentes do concurso de 2009, que está sendo concluído este ano, a fim de viabilizar a nova seleção.

Agente Administrativo
O cargo de agente de administrativo, de nível médio, tem remuneração inicial de R$ 3.203,97. Já os de técnico de assuntos educacional e técnico de nível superior os ganhos são de R$ 3.835,32 (ambos com auxílio). Todas as oportunidade serão para atuação no Distrito Federal.

A seleção será destinada à substituição de 75 terceirizados irregulares até o fim do ano, conforme acordo entre União e Ministério Público do Trabalho.

AUTORIZAÇÃO PARA ÁREA DE APOIO

GABINETE DA MINISTRA
PORTARIA N.º 338, DE 9 DE AGOSTO DE 2012
A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso de suas atribuições e tendo em vista a delegação de competência prevista no art. 10 do Decreto nº 6.944, de 21 de agosto de 2009, resolve:
Art. 1º Autorizar a realização de concurso público para o provimento de setenta e um cargos do Plano Especial de Cargos do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, do Quadro de Pessoal do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, conforme discriminado no Anexo a esta Portaria.
Art. 2º O provimento dos cargos no quantitativo previsto no art. 1º dependerá de prévia autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e está condicionado:
I – à existência de vagas na data da nomeação;
II – à declaração do respectivo ordenador de despesa, quando do provimento dos referidos cargos, sobre a adequação orçamentária e financeira da nova despesa à Lei Orçamentária Anual e sua compatibilidade com a Lei de Diretrizes Orçamentárias, demonstrando a origem dos recursos a serem utilizados;
III – à substituição dos trabalhadores terceirizados que executam atividades não previstas no Decreto nº 2.271, de 7 de julho de 1997, cujos nomes deverão constar de relação, a ser publicada previamente à nomeação dos candidatos aprovados, de acordo com o disposto no art. 1º da Portaria Interministerial MP/CGU nº 494, de 18 de dezembro de 2009, o que implicará o remanejamento de dotações orçamentárias de “Outras Despesas Correntes” para “Pessoal e Encargos Sociais”, no montante equivalente ao custo dos cargos providos, até que esta despesa esteja definitivamente incorporada aos limites orçamentários anuais de pessoal e encargos sociais do Departamento de Polícia Rodoviária Federal; e
IV – à extinção de setenta e cinco postos de trabalho terceirizados do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, que estão em desacordo com a legislação vigente, obedecendo ao disposto no Aditivo ao Termo de Conciliação Judicial – Processo nº 00810-2006-017-10-00-7.
Art. 3º A responsabilidade pela realização do concurso público para os cargos relacionados no Anexo será do Diretor-Geral do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, a quem caberá baixar as respectivas normas, mediante a publicação de editais, portarias ou outro ato administrativo.
Art. 4º O prazo para publicação de edital de abertura para realização de concurso público será de até seis meses contados da data de publicação desta Portaria.
Art. 5º A realização do concurso público deverá observar o disposto no Decreto nº 6.944, de 2009.
Art. 6º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

MIRIAM BELCHIOR

ANEXO
Cargo Nível de Escolaridade Quantitativo de Vagas
Técnico de Assuntos Educacionais NS 3
Técnico de Nível Superior NS 1
Agente Administrativo NI 67
Total 71

AUTORIZAÇÃO PARA POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL

PORTARIA N. 339, DE 9 DE AGOSTO DE 2012

A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso de suas atribuições e tendo em vista a delegação de competência prevista no art. 10 do Decreto nº 6.944, de 21 de agosto de 2009, resolve:

Art. 1º Autorizar o provimento de setecentos e cinquenta cargos de Agente da Carreira de Policial Rodoviário Federal para o Quadro de Pessoal do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, do concurso público autorizado pela Portaria MP nº 79, de 9 de abril de 2009.
Parágrafo único. O provimento dos cargos deverá ocorrer a partir de setembro de 2012, e está condicionado:
I – à existência de vagas na data de nomeação; e II – à declaração do respectivo ordenador de despesa sobre a adequação orçamentária e financeira da nova despesa à Lei Orçamentária Anual e sua compatibilidade com a Lei de Diretrizes Orçamentárias, demonstrando a origem dos recursos a serem utilizados.
Art. 2º A responsabilidade pela verificação prévia das condições para a nomeação dos candidatos aprovados no concurso público referido no art. 1º será do Diretor-Geral do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, a quem caberá baixar as respectivas normas, mediante a publicação de editais, portarias ou outros atos administrativos.
Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

MIRIAM BELCHIOR

Fonte:  Folha Dirigida | http://virou.gr/QMCzGl com alterações.