“Da Patagônia ao Caribe”: Venezuela adere ao Mercosul que se transforma na 5a maior economia

A Venezuela ingressou nesta terça-feira oficialmente como membro pleno do Mercosul em uma cúpula extraordinária que contou com a presença dos presidentes deste país, do Brasil, da Argentina e do Uruguai, e na qual foi destacado o peso econômico do novo parceiro do bloco. “O Mercosul se transforma agora na quinta economia mundial”, com um Produto Interno Bruto (PIB) de 3,3 trilhões de dólares, e se consolida como uma “potência” nas áreas de energia e produção de alimentos, declarou Dilma Rousseff ao oficializar a entrada da Venezuela como quinto membro do bloco.

Dilma deu uma “calorosa boas-vindas” a “todo o povo venezuelano” ao Mercosul, que agora passa a ser uma zona econômica com 270 milhões de habitantes e que representa 70% da população sul-americana. O Brasil exerce neste semestre a presidência rotativa do bloco.

A Venezuela demonstrou seu peso econômico no Mercosul ao assinar em Brasília, antes da cúpula extraordinária, um contrato para a compra de seis aviões modelo E190 da Embraer, que serão destinados à companhia aérea Conviasa, com opção de compra de outras quatorze aeronaves. O contrato tem um valor de US$ 270 milhões e pode alcançar US$ 900 milhões caso a Venezuela confirme todas as opções de compra. Diante dos presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, da Argentina, Cristina Kirchner, e do Uruguai, José Mujica, a governante brasileira convidou “os setores empresariais de toda a região a participar ativamente deste momento” e aproveitar os novos espaços para o comércio e os investimentos que podem se abrir com a ampliação do bloco. Dilma destacou que a Venezuela “tem as maiores reservas comprovadas de petróleo do mundo”, mas ponderou que o país deve “avançar em sua industrialização”.

A presidente afirmou que a entrada da Venezuela no bloco representa “um novo universo de oportunidades” para os sócios do Mercosul. Chávez admitiu essa realidade e declarou que a entrada no Mercosul é “a maior oportunidade histórica em 200 anos na Venezuela, um país que por modelos de desenvolvimento impostos estava condenado antes ao subdesenvolvimento, ao atraso e à miséria”. O líder bolivariano ressaltou o “interesse” de seu país “em sair desse modelo e estimular um novo modelo agrícola”, frisando que a Venezuela tem “mais de 30 milhões de hectares” de terras disponíveis. “O Mercosul é sem dúvida a maior locomotiva para garantir nossa independência e acelerar nosso desenvolvimento”, afirmou Chávez em Brasília. Cristina Kirchner dedicou a maior parte de seu discurso a criticar os países desenvolvidos por sua atuação frente à crise financeira, mas também valorizou as “potencialidades” que a entrada da Venezuela traz ao bloco. Para a presidente Argentina, o ingresso do país é uma resposta aos que duvidavam do futuro do bloco. Mujica concordou com Chávez que “nunca ao longo da história” a América do Sul teve “uma oportunidade como esta” e afirmou: “é agora ou nunca”. O líder ressaltou, no entanto, que a região continua sendo “uma das mais ricas e uma das mais desiguais do mundo”.

Novo mapa do MERCOSULNovo mapa do MERCOSUL

Paraguai, um dos quatro fundadores do Mercosul, foi o único ausente da reunião, pois foi suspenso do bloco pelos outros três países-membros em 29 de junho, na cúpula de Mendoza (Argentina), em função do impeachment de Fernando Lugo da presidência. Nos discursos de hoje, a única referência ao Paraguai foi feita por Dilma, que voltou a defender a decisão de suspender o país e atribuiu a medida a um “inequívoco compromisso do Mercosul com a democracia”. Segundo Dilma, “a perspectiva é que o Paraguai normalize sua situação interna e recupere todos seus direitos plenos no Mercosul”. O Congresso do Paraguai era o único que não tinha aprovado a incorporação plena da Venezuela, país que tem quatro anos de prazo para se adaptar à normativa comercial do Mercosul.

Um “novo” Mercosul
Pertencem ao Mercosul Brasil, Argentina, Uruguai, Venezuela e o Paraguai (suspenso até abril 2013). Chile, Equador, Colômbia, Peru e Bolívia são países associados. O México e a Nova Zelândia são observadores.

A entrada da Venezuela, entretanto, só será efetivada a partir do dia 13 de agosto, tempo necessário para a análise dos documentos apresentados. Com o ingresso da Venezuela, o bloco contará com uma população de 270 milhões de habitantes – equivalente a 70% da população da América do Sul, um PIB a preços correntes de US$ 3,3 trilhões – 83,2% do PIB sul-americano – e um território de 12,7 milhões de km² – 72% do território do continente.

Com informações da Agência Brasil, EFE e do Blog do Planalto.

Anúncios

O espaço de comentários do Blog do Prof. Omar Martins será moderado. Não serão aceitas mensagens: • que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal; • que contenham conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia; • que contenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas; • que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica; de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie; • que caracterizem prática de spam; • anônimas ou assinadas com e-mail falso; • fora do contexto da matéria; • exclusivamente em caixa alta; • com mais de dois mil caracteres.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s