INSS: 2700 vagas | Edital será publicado nos próximos dias

O Ministério do Planejamento confirmou a autorização do lançamento do próximo concurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que vai oferecer ao todo 2.700 vagas para técnicos, peritos e assistentes. De acordo com o ministro da Previdência, a seleção deve sair nos próximos dia. As provas devem ser realizadas entre janeiro e fevereiro, com posse em março.

A seleção vai oferecer 2.700 vagas, sendo 2.000 para técnicos previdenciários, 500 para peritos e 200 para assistentes sociais. No caso dos assistentes sociais, Garibaldi Filho informou que os aprovados no último concurso, realizado em 2009, serão reaproveitados. Na ocasião, a seleção ofereceu 900 vagas para assistentes sociais. A disputa registrada pela Funrio, organizadora da seleção, foi de 48,17 candidatos por vaga. A remuneração inicial para o cargo era de R$ 3.586,26.

No dia 21 de julho, a presidenta Dilma Rousseff autorizou o concurso em caráter excepcional, haja vista que todas as seleções e nomeações estão sendo analisadas friamente pelo Ministério do Planejamento, que tenta aplicar o corte orçamentário e reduzir a gastança com a máquina pública.

Os novos servidores do INSS vão atuar no Plano de Expansão da Rede de Atendimento (PEX) do instituto, que prevê a implantação de 720 novas agências da Previdência em cidades brasileiras com mais de 20 mil habitantes que não possuem unidades fixas. Desse total, 71 já foram inauguradas. Até o final de 2014, as demais 649 unidades deverão ser entregues.

Último concurso
Em 2008 o lançou concurso com 2,3 mil oportunidades para técnicos e analistas. Segundo o edital, a remuneração inicial oferecida era de R$ 1.989,87 e R$ 2.243,78, respectivamente. O Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB) elaborou as provas.

Com informações do Correio Web. 

Anúncios

Magistério-RS: Ensino Médio público estadual terá novo currículo em 2012

Para os milhares de professores que estão aguardando a publicação do edital das 10.000 vagas para o Magistério Estadual do Rio Grande do Sul, duas boas novas notícias: 1) o edital deverá ser divulgado até o dia do Professor (15.10) e 2) Foi anunciado pela SEC-RS a mudança do currículo do ensino médio público no estado.

A Secretaria Estadual de Educação divulgou, nesta quarta-feira [28.09.2011], o novo currículo para o Ensino Médio nas escolas públicas estaduais para 2012. Pela nova proposta, os alunos das escolas politécnicas terão uma aproximação maior com o mercado de trabalho, já no primeira ano. Segundo o secretário José Clóvis Azevedo, o objetivo é dar uma identidade para essa etapa do ensino que se aproxime e desperte interesse dos jovens.

Outro desafio é trazer para a escola 84 mil jovens, em idade de cursar o Ensino Médio, mas que estão fora da sala de aula. De acordo com dados do Censo Escolar da Educação Básica de 2010, o 1º ano do Ensino Médio de 793 escolas da rede estadual recebeu matrícula de 161 mil alunos. Nos três anos do nível, o número de matrículas em 2010 foi superior a 354 mil.

Novo currículo
Pelo novo currículo, haverá uma formação geral dividia em Áreas de Conhecimento; Linguagens e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; e Ciências da Natureza e suas Tecnologias.
A principal diferença está nos eixos temáticos, que contemplarão diferentes áreas da sociedade. “O aluno vai estudar, vai ter um projeto e vai escolher um setor de acordo com a identidade e com o campo do conhecimento do qual ele gosta”, explicou Azevedo, em entrevista à Rádio Guaíba.
Eles se dividem em Acompanhamento Pedagógico; Meio Ambiente; Esporte e Lazer; Direitos Humanos; Cultura e Artes; Cultura Digital; Prevenção e Promoção da Saúde; Comunicação e Uso de Mídias; Investigação no Campo das Ciências da Natureza; Educação Econômica e Áreas da Produção.

Com informações da SEC-RS e Correio do Povo.

Revolução Farroupilha nos concursos públicos – (I)

A Revolução Farroupilha sempre foi um presença constante nos concursos nas áreas de Conhecimentos Gerais (História e Geografia) especialmente nos estados do Rio Grande do Sul (Brigada Militar | Polícia Civil) e Santa Catarina (TJ-SC). Via de regra, as questões apresentadas são bastante básicas, não adentrando em aspectos debatidos nas universidades e controversos da historiografia brasileira. Entretanto, eventualmente os organizadores “se puxam” (como diria minha mãe!) e propõe questões mais elaboradas. Abaixo apresento um exemplo de tal iniciativa. Tentem solucioná-la. Em seguida a comentarei a fim de esclarecer as assertivas apresentadas.

P.S.: No certame de 2002, 90% dos candidatos erraram a resposta!

[Soldado – Brigada Militar RS 2002 (Faurgs)]
A maior parte da província rio-grandense não tinha sofrido diretamente as consequências da guerra farroupilha, mesmo assim os estragos foram grandes onde a luta foi mais sentida, como no caso da atividade charqueadora, base da economia gaúcha daqueles tempos.
Sobre esse aspecto, pode-se dizer que

I. as charqueadas estavam concentradas na zona sul da província, principalmente na região de Pelotas, reduto principal da indústria saladeira da época.
II. a produção das charqueadas, no final da guerra, estava em franco declínio, em consequência da séria escassez da matéria-prima: o gado, importante fator na logística da luta. Os farroupilhas, com ele, haviam sustentado seus exércitos, mandando rebanhos para que fossem vendidos em Montevidéu, em troca recebendo armas, munições, roupas e até comida.
III. o gado encontrado no campo pelos farroupilhas, quando não podia ser apresado, era inutilizado por mutilações cruéis ou pelo morticínio para que não pudesse ser aproveitado pelos imperiais.
IV. os abates nas charqueadas, no último ano da luta, mal beiravam as 100 mil cabeças, um terço do que era abatido em anos normais.

Quais afirmações estão corretas?

(A) Apenas I e II
(B) Apenas I e III
(C) Apenas II e III
(D) Apenas III e IV
(E) I, II, III e IV

O Analfabeto Político | Berthold Brecht

O pior analfabeto
É o analfabeto político,
Ele não ouve, não fala,
nem participa dos acontecimentos políticos.

Ele não sabe que o custo de vida,
o preço do feijão, do peixe, da farinha,
do aluguel, do sapato e do remédio
dependem das decisões políticas.

O analfabeto político
é tão burro que se orgulha
e estufa o peito dizendo
que odeia a política.

Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política
nasce a prostituta, o menor abandonado,
e o pior de todos os bandidos,
que é o político vigarista,
pilantra, corrupto e o lacaio
das empresas nacionais e multinacionais.

Lula contratou três vezes mais servidores que FHC

O número de servidores contratados na Administração Pública Direta Federal nos dois mandatos de Lula (2003 a 2010) foi cerca de três vezes maior que nos oito anos de Fernando Henrique Cardoso (1995 a 2002). Segundo estudo divulgado ontem pelo Ipea, foram admitidos 155.534 servidores na Administração Federal Direta por meio de concursos públicos na era Lula, enquanto 51.613 servidores foram admitidos durante a gestão FHC. Apesar disso, a participação da relação folha de pagamento/PIB foi reduzida mantendo-se abaixo dos 4% incluindo inativos e pensionistas.

O estudo desmonta a tese do “inchaço” do serviço público e do “incontrolável aumento dos gastos com a folha de pagamento” propalado por setores da elite amparados pelos inimigos do Estado como a Veja, Folha, Estadão, Rede Globo/RBS etc.

Esperamos que seja mantido os concursos públicos previstos a fim de que o serviço público seja amplamente democratizado para todos os cidadãos brasileiros indistintamente.

Veja os dados completos e gráficos: http://virou.gr/pmczmF

Concurso para o Magistério – RS | 10.000 vagas

O Governo do Estado do Rio Grande do Sul | http://www.estado.rs.gov.br | está ultimando os detalhes para o novo concurso geral para professores da rede estadual. Segundo informações divulgadas pela jornalista Rosane de Oliveira (Rádio Gaúcha) o esperado edital do concurso para a seleção de 10 mil professores será publicado até o final do mês de setembro. Mantendo esse calendário, as provas devem ser aplicadas na segunda quinzena de outubro ou na primeira de novembro e os primeiros classificados começarão a trabalhar em março de 2012.
O secretário da Educação, professor José Clovis de Azevedo, anuncia uma novidade: vai acabar a prática de um professor de matemática fazer a mesma prova dos que vão ensinar português ou educação física.
Além da prova específica na sua área de especialização, cada candidato fará outra prova, na área de conhecimento em que sua disciplina se enquadra, de acordo com a divisão utilizada no Exame Nacional do Ensino Médio.

Com informações da Rádio Gaúcha – Programa Atualidades – 09.09.2011.

Governo Federal vai criar 141 mil cargos públicos em 2012

Uma boa notícia para quem vem estudando para concursos públicos federais. A proposta do Orçamento da União enviada ao Congresso Nacional no dia 31 revela que, no próximo ano, o governo federal planeja criar 141.142 cargos por meio de concursos públicos, funções e cargos comissionados — o dado representa um aumento de 457% em relação ao previsto para este ano (25.334). A este número se somam os concursos já autorizados e os que são realizados normalmente dentro das vagas já existentes e abertas por aposentadoria, exoneração e transferência.

Pela proposta orçamentária, em 2012, o maior número de cargos a serem criados será destinado ao Poder Executivo: 136.795. Outros 3.699 vão para o Judiciário; 576, para o Ministério Público da União; e 72, para o Legislativo. Apesar das quantidades expressivas, resta saber se o governo efetivará as contratações. O texto encaminhado ao Congresso prevê que a administração pública possa chamar, de fato, 57.159 pessoas, o que levará a uma despesa da ordem de R$ 1,9 bilhão com contratações. Mas isso não passa de uma previsão e depende de autorizações da ministra do Planejamento, Miriam Belchior. A previsão para o exercício de 2011 era de provimento de 36.616 postos e gastos de R$ 1,6 bilhão.

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, reconheceu que uma das necessidades urgentes é a substituição de aposentados. Estima-se que, nos próximos quatro anos, 40% do número atual 1,1 milhão de servidores da União tenha condições de requerer o benefício. Miriam ressaltou, porém, que os concursos em 2012 serão escassos. “Estão previstos recursos para contratação em áreas fundamentais, no plano Brasil Maior”, detalhou a ministra. Ela disse que a intenção é reequipar o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior para combater práticas nocivas ao comércio internacional.

Terceirizados
Ao anunciar os números do Orçamento de 2012, no entanto, a ministra parecia desconhecer a previsão de verbas do exercício atual. “Há uma previsão menor do que tínhamos. Haverá concursos em áreas muito estritas. Há recursos para substituição de terceirizados. A gente já quase substituiu tudo, mas há recursos para isso”, disse.

O Ministério do Planejamento explicou que, no que diz respeito ao Executivo, a grande diferença está na área de atendimento ao cidadão. Em 2012, a previsão é de criação 94.032 vagas apenas para o Ministério da Educação — vagas que representam 68,7% do total de cargos estimados para o Executivo. Poderão ser contratados até o limite máximo de 33.568 trabalhadores. “Esse pessoal vai permitir a expansão da estrutura de atendimento. Precisamos de recursos humanos para atender, por exemplo, aos projetos de expansão das escolas técnicas e das universidades federais”, informou o órgão.

Entre as vagas a serem criadas no próximo ano, há 72 para o Tribunal de Contas da União (TCU). Elas dependem da aprovação do Projeto de Lei n.º 1.863/11, que está na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara. Mas há um detalhe: todas dizem respeito a cargo comissionado (para não servidores) ou a função de confiança (conferida a quem já ocupa um cargo, mas que assume novas responsabilidades).

A proposta orçamentária também demonstra outra intenção do governo: efetivar a criação da Secretaria de Micro e Pequena Empresa. A previsão é de que sejam abertos 68 cargos para atender o órgão.

Fonte: Correio Braziliense | MPOG – com adaptações e inclusões.